Home » Engenharia » Israel apresenta seu esquadrão suicida (de drones)

Israel apresenta seu esquadrão suicida (de drones)

Drones podem ser ferramentas essenciais em zonas de combate, mas normalmente só os grandes têm dentes. Não mais, uma empresa israelense desenvolveu um drone de observação pequeno o bastante pra ser levado por um soldado mas com capacidade de eliminar alguns alvos, se for necessário.

1 ano atrás

a6qerxl_700b

Drones originalmente eram grandes, complicados e precisavam de equipes especializadas de apoio. Quer dizer, esses ainda existem, mas a tecnologia já evoluiu a ponto de ser possível um desempenho com equipamentos domésticos impensável alguns anos atrás.

O HAMAS, ISIS e similares sabem disso, e vem usando drones comprados em loja para atacar os inimigos com explosivos improvisados. Nada mais natural que as forças convencionais também invistam na tecnologia, e Israel não é exceção.

Desenvolvido pela Israel Aerospace Industries. o ROTEM é um drone de 4,5 kg; com autonomia de até 45 minutos, podendo ser levado por um único soldado.

rotem_l_assembly725

Ele dá a unidades de nível de esquadrão autonomia para obter informações de reconhecimento, sem depender de unidades externas. Ao invés de mandar um recruta para descobrir se o inimigo está do outro lado da colina, você manda o drone.


defenseupdate — IAI ROTEM L - Multiblade Loitering Munition

O ROTEM tem recursos bem interessantes, como decolagem e pouso automáticos, retorno ao ponto de partida, rota de patrulha pré-programada e cancelamento de emergência, onde ele dá um mergulho antes de fugir do fogo inimigo.

Outra característica interessante é que o ROTEM pode levar uma carga de duas granadas de fragmentação, o que reduz seu tempo de vôo para 30 minutos. Nesse caso ele pode ser usado como um drone kamikazi, destruindo alvos desprotegidos. É possível determinar o ponto exato do alvo e deixar que ele o atinja sozinho.

Se o alvo não cooperar, o ROTEM tem a opção de desarmar a ogiva e voltar para o ponto de partida, o que é em mais eficiente do que os kamikazis originais, que segundo alguns relatos aprendiam a decolar mas não a pousar.

Aqui o bicho em ação:


Israel Aerospace Industries IAI — ROTEM

É um excelente uso da tecnologia mas com tanta gente querendo um drone, é um bruta desperdício explodir um desses só pra se livrar do Achmed.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários