Media Create — nem Gundam nem The Crew 2 vencem o tênis do Mario (no Japão, 26ª semana)

Laguna_Mario_Tennis_Aces_Luigi_927

Mais uma semana, mais uma vitória do Nintendo Switch sobre o PlayStation 4. Na 25ª semana (que foi de 18 a 24 de junho) tivemos dois grandes lançamentos exclusivos, um para cada console citado. Passada aquela e a semana seguinte, a Nintendo continua vencendo com o mesmo jogo enquanto outro lançamento “exclusivo” do PS4 consegue apenas ficar no Top 3.

Confiramos abaixo os dados detalhados das vendas de hardware na vigésima-sexta semana do ano (que foi de 25 de junho a 1º de julho), no Japão, segundo a Media Create. Bom lembrar que, este ano, a 26ª semana da Media Create coincide com a 26ª semana da Famitsu, outro instituto de pesquisa de vendas do varejo japonês.

VENDAS DE HARDWARE NO JAPÃO (MEDIA CREATE)
Plataforma25ª semanaesta semanaem 2018desde o lançamento
Nintendo Switch48.944 unid50.762 unid1.217.140 unid4.529.759 unid
família PS420.295 unid18.811 unid989.853 unid6.882.266 unid
linha 3DS6.812 unid7.323 unid279.549 unid24.102.328 unid
PlayStation Vita2.163 unid3.470 unid106.522 unid5.894.402 unid
Xbox One547 unid287 unid8.769 unid97.205 unid

·
O console híbrido da Nintendo respondeu por nada menos que 62,9% das vendas de hardware no Japão durante a 26ª semana de 2018. Somando todos os consoles, a Nintendo responde com 71,9% enquanto a Sony com os 27,6% restantes, sendo 23,3% correspondentes à família PS4. Há uma margem de erro de 0,4% que pode ser traduzida como a participação simbólica do Windows Phone Xbox One no arquipélago.

Os seis primeiros meses de 2018 deram ao Nintendo Switch uma vantagem de mais de 227 mil unidades contra o PS4. Ao compararmos com a situação do mês anterior, a vantagem do console da Nintendo cresceu em mais de 95 mil consoles apenas durante o mês de junho.

Infelizmente o console da Sony ainda conta com uma frente de 2,35 milhões de unidades: caso a Nintendo mantenha o ritmo de junho, o Switch só alcançaria o PS4 no segundo semestre de 2020. Os acionistas e os fãs da Nintendo devem torcer para que os novos Pokémon puxem as vendas do híbrido para acima de quaisquer expectativas atuais. E a japonesa precisaria produzir mais consoles para atender a tal demanda.

Agora vamos ao software, com o Top 20 japonês da vigésima-sexta semana do presente ano. Entre colchetes está a plataforma; entre parênteses ao final, a venda acumulada do título desde o lançamento japonês.

Ranking dos jogos mais vendidos do Japão na 26ª semana de 2018 (25 de junho a 1º de julho, Media Create)

  1. [NSW] Mario Tennis Aces (Nintendo, 22/06/18) — 49.143 (172.917);
  2. [NSW] Minecraft: Nintendo Switch Edition (Microsoft, 21/06/18) — 25.773 (87.537);
  3. [PS4] The Crew 2 (Ubisoft, 29/06/18) — 17.585 (lançamento);
  4. [NSW] Splatoon 2 (bundle incluso) (Nintendo, 21/07/17) — 16.266 (2.410.990);
  5. [NSW] Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo, 28/04/17) — 10.774 (1.604.166);
  6. [PS4] New Gundam Breaker (edição limitada inclusa) (Bandai Namco, 21/06/18) — 9.159 (72.949);
  7. [NSW] Ys VIII: Lacrimosa of Dana (NIS, 28/06/18) — 6.431 (lançamento);
  8. [NSW] Kirby Star Allies (Nintendo, 16/03/18) — 6.379 (546.771);
  9. [NSW] Zelda no Densetsu: Breath of the Wild (edição limitada inclusa) (Nintendo, 03/03/17) — 6.143 (1.030.773);
  10. [NSW] Super Mario Odyssey (bundle incluso) (Nintendo, 27/10/17) — 5.058 (1.756.088);
  11. [PS4] Fate/Extella Link (edição limitada inclusa) (Marvelous, 07/06/18) — 4.772 (103.915);
  12. [NSW] Donkey Kong Country: Tropical Freeze (Nintendo, 04/05/18) — 4.757 (181.880);
  13. [PSV] Kurenai no Homura: Sanada Ninpou Chou (edição limitada inclusa) (Idea Factory, 28/06/18) — 4.641 (lançamento);
  14. [PS4] Detroit: Become Human (SIE, 25/05/18) — 4.290 (83.454);
  15. [3DS] Pokémon Ultra Sun / Ultra Moon (The Pokémon Company, 17/11/17) — 3.898 (1.656.991);
  16. [NSW] Nintendo Labo: Toy-Con 01 Variety Kit (Nintendo, 20/04/18) — 3.342 (196.279);
  17. [PS4] Pro Evolution Soccer 2018 (Konami, 14/09/17) — 3.201 (165.436);
  18. [PS4] Kingdom Hearts HD 1.5 + 2.5 Remix (Square Enix, 09/03/17) — 2.880 (159.802);
  19. [PS4] Dark Souls Remastered (From Software, 24/05/18) — 2.440 (115.291);
  20. [NSW] FIFA 18 (EA, 29/09/17) — 2.046 (111.324).

Durante a 25ª semana, tivemos o lançamento dos exclusivos Mario Tennis Aces (NSW) e New Gundam Breaker (PS4) mas o novo jogo de tênis do brother Mario liderou as vendas daquela e da semana do presente texto. Embora The Crew 2 tenha versão para o Xbox One, na prática o lançamento vendeu (bem) mais para o PS4 no Japão durante a 26ª semana, quase um exclusivo da Sony mesmo.

Analisando o Top 20 japonês por alto, temos 11 jogos para o Nintendo Switch e outros 7 para o PS4. 3DS e PlayStation Vita aparecem com um jogo cada. Ao reduzirmos o ranking para os dez mais vendidos no Japão, o console da Nintendo responde por 8 posições, sendo quatro jogos com vendas acima de 1 milhão de cópias.

O destaque nas vendas acumuladas continua a ser o Splatoon 2, com 2,4 milhões de cópias já vendidas apenas no arquipélago. O tio Laguna pode até arriscar dizer que o consumidor japonês compra o Switch para jogar Splatoon 2. Quero ver o que vai acontecer quando Pokémon Let’s Go Pikachu / Eevee chegar ao console híbrido.

Talvez graças ao ótimo desempenho da seleção japonesa na Copa do Mundo, os jogos de futebol voltaram a aparecer no Top 20 desde a 25ª semana. Pro Evolution Soccer 2018 estava em 16º lugar entre 18 a 24 de junho e agora ficou como o 17º jogo mais vendido do arquipélago na 26ª semana. FIFA 18 continua no mesmo 20º lugar da 25ª e é bom notar que os japoneses preferem o software nacional, mesmo com o FIFA da Electronic Arts sendo considerado por muitos ocidentais um jogo melhor.

Fontes: EuroGamer PT, Gematsu, Media Create e ResetEra.

Leia também:

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Emanuel Laguna

O “tio Laguna” nasceu no Siará em meio à Fortaleza de 1984. Sempre gostou de brincar de médico com os aparelhos eletrônicos e entender como um hardware dedicado a jogos funciona, mas pretende formar-se como Engenheiro Eletricista qualquer dia. Antes apaixonado pelos processadores gráficos desktop, vê nos smartphones, tablets e outras geringonças mobile o futuro da computação.

Compartilhar