Apple começa o ano vendendo 52,2 milhões de iPhones (no trimestre)

Laguna_Apple_Park

Apple Park em janeiro (crédito: Digital Trends)

A Apple divulgou hoje o relatório financeiro do segundo trimestre fiscal de 2018 (Q2 FY 2018): foi o período compreendido entre 1º de janeiro e 31 de março do ano civil de 2018.

No Q2 FY 2018 a Apple teve receita de 61,1 bilhões de dólares (alta de 13% em relação a Q2 FY 2017), com lucro de US$ 13,8 bilhões (+ 13%). De onde veio esse dinheiro?

Bom, ao menos US$ 38 bilhões vieram das vendas de 52,2 milhões de unidades da linha iPhone, nos 3 meses iniciais do ano civil de 2018 (Q2 FY 2018). Vemos um leve aumento de 3% no número de aparelhos vendidos em relação ao mesmo período do ano anterior. A arrecadação média geral foi de US$ 728 por aparelho.

Parece que o povo não deseja o iPhone X tanto assim, afinal pois embora o iPhone X tenha sido o modelo mais vendido, a proporção dele entre todos os modelos de iPhone vendidos diminuiu em relação ao trimestre anterior. Se bem que a receita aumentou 14% em relação a Q2 FY 2017.

A linha iPad respondeu por uma receita de US$ 4,1 bilhões; correspondente à venda de 9,1 milhões de unidades. Houve portanto um aumento de 2% nas vendas e 6% de aumento da receita em relação ao ano anterior (Q2 FY 2017). Na arrecadação, temos uma média geral de US$ 451 por tablet.

A linha Mac gerou US$ 5,8 bilhões de receita (mesma receita de Q2 FY 2017), com as vendas de 4,1 milhões de unidades (– 3%).

Os mais de 40 milhões de assinantes do Apple Music, e outros 200 milhões de assinantes do iCloud, fizeram a Maçã de Cupertino arrecadar US$ 9,2 bilhões (alta de 31% em relação a Q2 FY 2017). Bom considerar que a arrecadação inclusive cresceu em relação a Q1 FY 2018, período das festas de fim de ano. Para lucrar com assinaturas não existe mês fraco. E o Apple Pay está incluso na conta.

Por fim, outros produtos (incluindo a linha iPod) responderam pelos US$ 4 bilhões restantes da receita global da Apple no primeiro trimestre civil de 2018. Alta de 38% na arrecadação em relaçao a Q2 FY 2017.

Esses números todos só traduzem uma coisa: a Apple é uma empresa tão saudável que pode se dar ao luxo de autorizar mais uma recompra de US$ 100 bilhões de suas ações, totalizando 275 bilhões de dólares desde agosto de 2012. É, não foi apenas para agradar ao governo Trump. De qualquer forma, a Maçã de Cupertino realmente vale os 889,88 bilhões de dólares que dão nela. Até porque ela consegue manter no caixa US$ 267,2 bilhões!

Fonte: 9 to 5 Mac.

Leia também:

Relacionados: , , , ,

Autor: Emanuel Laguna

O “tio Laguna” nasceu no Siará em meio à Fortaleza de 1984. Sempre gostou de brincar de médico com os aparelhos eletrônicos e entender como um hardware dedicado a jogos funciona, mas pretende formar-se como Engenheiro Eletricista qualquer dia. Antes apaixonado pelos processadores gráficos desktop, vê nos smartphones, tablets e outras geringonças mobile o futuro da computação.

Compartilhar