Home » Games » Cultura Gamer » Malandro que vendia livros kibados "roubou" até emprego de editor-chefe

Malandro que vendia livros kibados "roubou" até emprego de editor-chefe

Malandro ousado que viva de vender livros que ele kibava e publicava como sendo seus chegou ao cúmulo de copiar até o cargo de um dos autores, editor-chefe de um site de tecnologia.

1 ano e meio atrás

Este é um daqueles causos onde você fica admirado pela cara-de-pau do malandro em questão, ainda que não concorde com o que ele fez: um espertinho que vivia de copiar livros alheios, copiando a íntegra dos textos e republicando-os como se fossem seus teve inclusive a audácia de copiar o cargo alheio, se fazendo passar de editor-chefe para dar credibilidade a seus kibes.

Tudo começou quando Jamie Lendino, o referido editor em questão do site ExtremeTech descobriu por acaso que um tal Steve S. Thomas estava ganhando dinheiro com o livro que ele publicou no ano passado, Breakout: How Atari 8-Bit Computers Defined a Generation (disponível na Amazon) sobre a linha de computadores de 8 bits que a Atari lançou de 1979 até meados dos anos 1980. O livro foi publicado originalmente pela Ziff Davis, editora que também é a dona do site a conta com cópias físicas e digitais disponíveis para venda.

O tal Thomas entretanto não estava revendendo o original, ao invés disso ele copiou todo o conteúdo do livro de Lendino e o publicou com conta própria, com duas pequenas alterações sendo o título, a ilustração de capa e o nome do autor, que ele substituiu pelo seu próprio. O mais hilário é que a Amazon estava vendendo ambas publicações em sua lojinha sem nenhum tipo de verificação, e conforme apurado ele fez isso com uma série de outros autores, de diversas editoras.

O kibador não mudou exatamente mais nada do texto em si, nem dentro nem fora do livro; tanto que ele "roubou" não só o livro mas também o cargo de editor-chefe do site:

Após o site publicar a denúncia, a Amazon enfim agiu e removeu todas as publicações de Steve S. Thomas (que muito provavelmente não é o nome real do malandro) de sua loja online, que para adicionar insulto à injúria contam com um design terrível. Da mesma forma, como este foi identificado muito provavelmente existem outros que vivem de copiar o trabalho (e afanar empregos) de outros em busca de grana fácil.

No mais, é ridícula a incompetência da Amazon (e outras lojas) ao ser incapaz de notar que existiam dois livros com o mesmo título, de dois autores diferentes e sequer se dar ao trabalho de verificar.

Fonte: ExtremeTech.

relacionados


Comentários