E o FPS baseado no EVE Online ainda vive

Servindo como uma espécie de sucessor espiritual para o finado Dust 514, em 2016 a CCP Games anunciou o Project Nova, um jogo gratuito de tiro em primeira pessoa que assim como aquele para o PlayStation 3, também teria ligação com o principal título da empresa, o EVE Online.

O problema é que desde então pouco foi dito sobre o game e quando a desenvolvedora demitiu cerca de 100 pessoas no ano passado, alguns começaram a desconfiar que o projeto havia sido interrompido. A boa notícia para quem estava aguardando pelo jogo é que ele continua vivo e perto de receber aparecer nos computadores.

A informação foi passada pelo CEO da desenvolvedora, Hilmar Veigar Pétursson, que durante a abertura da Fanfest 2018 afirmou que ainda este ano veremos uma versão jogável do Project Nova. Além disso, o executivo revelou que ao invés de fazer com que o jogo funcione de forma integrada com o EVE Online desde o início, ele está sendo tratado como um spin-of, para que assim a equipe possa entregar a melhor experiência possível e só depois eles encontrem uma maneira de unir os títulos.

Eu não sei dizer se considero essa mudança de planos algo bom ou ruim. Num primeiro momento, é claro que ter um jogo melhor é uma ótima ideia, mas sempre achei que a fusão com o EVE Online poderia servir como o grande diferencial do Project Nova, assim como foi com o Dust 514. De acordo com Pétursson, este sempre foi o sonho da empresa, aquilo que sempre almejaram, mas que no momento o melhor é criar as fundações para o FPS e só depois chegar a esse objetivo.

Infelizmente ainda não existe uma data para o Project Nova ser disponibilizado, mas já sabemos que a princípio ele deverá ser lançado como em Acesso Antecipado. A intenção da CCP Games é permitir que o jogo seja desenvolvido com a ajuda da comunidade e se você quiser saber quando isso acontecerá, vale a pena se inscrever no site oficial.

Vamos ver então se dessa vez a desenvolvedora islandesa conseguirá obter mais sucesso do que com o Dust 514, mas só por se tratar de um jogo que está sendo criado para o PC, acredito que o interesse do público poderá ser bem maior.

Fonte: Destructoid.

Relacionados: ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar