Surge uma variação levemente diferente do Galaxy S9, exclusiva do mercado chinês

Entra ano, sai ano e sempre surge um boato de que a Samsung vai resgatar do túmulo a linha S Mini, que ficou com merecida má fama ao trazer o nome dos produtos premium em smartphones bem mais limitados. O último foi o Galaxy S5 Mini, lançado em 2014.

O boato da vez diz respeito a um novo aparelho voltado para o mercado chinês, conhecido apenas pelo código SM-G8850. A princípio acreditava-se se tratar de uma versão do Galaxy S9 mais compacta e simples, que contaria com o mesmo hardware mas de acordo com o TEENA (a agência de telecomunicações chinesa, o equivalente  a nossa Anatel), que certificou o smartphone ele é bem mais semelhante do que o atual topo de linha da Samsung, embora conte com algumas diferenças substanciais.

As medidas do aparelho são as mesmas do Galaxy S9 (147,7 x 68,7 x 8,4 mm), afastando o aspecto “Mini”, por outro lado o display Super AMOLED de 5,8 polegadas com resolução de 2960 × 1440 pixels (570 ppi) é plano e não conta com as bordas curvas de seu “primo”. O SoC é o mesmo Exynos 9810, octa-core com quatro núcleos Mongoose M3 de 2,7 GHz, quatro Cortex-A55 de 1,8 GHz e GPU Mali-G72 MP18, com opções de 4 e 6 GB de RAM e memória interna expansível via microSD de até 400 GB (não há informação do espaço de armazenamento); o conjunto de câmera principal é duplo, similar ao do Galaxy S9+ com dois sensores de 12 megapixels (sem informações sobre a presença da abertura variável) mas posicionadas no canto esquerdo, de forma bastante similar ao iPhone X.

De certa forma, o SM-G8850 pode ser uma tentativa da Samsung conquistar o consumidor chinês interessado em adquirir o novo topo de linha da Apple, mas ainda prefere um Android e principalmente, não quer um notch no topo da tela (a Samsung o vem evitando, ao contrário de outros fabricantes). De resto, c câmera selfie também é de 8 MP e a bateria conta com os mesmos 3.000 mAh do S9. O dispositivo roda Android 8.0 Oreo.

Provavelmente esse aparelho não será lançado fora da China, como muitos outros que a Samsung mantém restritos ao mercado de lá, mas não deixa de ser um design minimamente interessante.

Fonte: TEENA (em chinês) via FoneArena.

Relacionados: , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar