Microsoft e nVidia anunciam raytracing em tempo real para os jogos do fim do ano

Laguna_nVidia_RTX_Ray_Tracing_Photo_Real_peq

Desde pelo menos 2009 que a Integrated Electronics prometia ray tracing em tempo real para o seu então processador gráfico dedicado Larabee. O tempo passou, a Intel preferiu não entrar no mercado de GPUs dedicadas e meio que morreu a melhor das tentativas em incluir o ray tracing num hardware gráfico voltado para o consumidor comum.

Até agora. Durante a GDC 2018, a nVidia anunciou que está a trabalhar com a Microsoft no desenvolvimento da API chamada DirectX Raytracing — DXR.


NVIDIA RTX Real-Time Ray Tracing Tech Demo From Remedy Entertainment

Essa nova API evoluirá o que temos no DirectX 12, permitindo que os futuros jogos possam trabalhar com ray tracing no lugar da tradicional rasterização, usando os futuros processadores gráficos dedicados. Apenas leia-se futuras GPUs topo de linha, claro: ninguém pensa em utilizar GPU mid-end ou low-end para renderizar jogo em tempo real com um recurso topo de linha desses. Ao menos não no começo.

Para quem não conhece, o ray tracing renderiza imagens baseadas no conceito dos fótons no mundo analógico. Nos filmes da Pixar, por exemplo, desde o primeiro Toy Story que eles não trabalham com os conceitos tradicionais de rasterização com polígonos, texturas e vértices. Só que o resultado final é bem foto-realista e detalhado, embora tenhamos nas CGIs da Pixar basicamente a renderização de um frame a cada 10 horas em outra técnica que não o ray-tracing. O DirectX Raytracing promete no futuro imagens ainda mais foto-realistas e detalhadas que as que temos nos jogos atuais, mas renderizadas em tempo real a 30 ou mesmo 60 fps.


Electronic Arts → SEED – Project PICA PICA – Real-time Raytracing Experiment using DXR (DirectX Raytracing)

A ideia por trás desse anúncio é simples: a arquitetura Volta terá no hardware a nVidia RTX, tecnologia de ray-tracing em tempo real. Então espera-se que as próximas placas de vídeo da camaleão verde de Santa Clara sejam mais eficientes nesse recurso tão exigente. Os jogos que serão lançados para o PC ao final do presente ano já terão suporte ao hardware com RTX. Se bem que a única GPU do mercado com a arquitetura Volta no momento é a Titan V, que custa “apenas” 3.000 dólares.

Bom lembrar que à rigor o DXR não vai exigir hardware totalmente dedicado: até as placas de vídeo DX 12 atualmente desperdiçadas para minerar criptomoedas poderiam em teoria rodar essa nova API de ray-tracing, bastando ter o poder computacional suficiente exigido pelo game. E o recurso também não será restrito às soluções da nVidia: a AMD também terá GPUs dedicadas ao ray-tracing proposto pela Microsoft, mas a AMD ainda não anunciou nada específico em hardware nesse quesito.

Fontes: Microsoft, nVidia, PC Gamer e PC Games N.

Relacionados: , , , , , , , , , , , ,

Autor: Emanuel Laguna

O “tio Laguna” nasceu no Siará em meio à Fortaleza de 1984. Sempre gostou de brincar de médico com os aparelhos eletrônicos e entender como um hardware dedicado a jogos funciona, mas pretende formar-se como Engenheiro Eletricista qualquer dia. Antes apaixonado pelos processadores gráficos desktop, vê nos smartphones, tablets e outras geringonças mobile o futuro da computação.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples