Home » Demais assuntos » Sony aumentará foco na criação de jogos exclusivos

Sony aumentará foco na criação de jogos exclusivos

Sony anuncia uma grande reestruturação no seu quadro de executivos e com isso a empresa pretende focar na criação de títulos exclusivos.

1 ano e meio atrás

A Sony possui um longo histórico de desenvolvimento interno de jogos, títulos que sempre visaram fortalecer a linha de exclusivos da sua plataforma e de acordo com um comunicado emitido pela própria empresa, isso deverá se tornar ainda mais forte nos próximos anos.

A partir do dia 1º de abril deste ano, a Sony Interactive Entertainment começará a passar por uma grande reestruturação no seu alto escalão, tudo visando dar maior atenção ao desenvolvimento de jogos exclusivos, os chamados first-party.

A principal delas acontecerá com Jim Ryan, que recentemente foi apontado como vice-presidente da SIE. A partir da data mencionada previamente, as divisões Sony Interactive Entertainment America (SIEA), Sony Interactive Entertainment Europe (SIEE) e Sony Interactive Entertainment Japan Asia (SIEJA) passarão a responder diretamente a Ryan, que também assumirá o cargo de chefe de vendas globais e marketing.

Outra mudança que deverá afetar diretamente o desenvolvimento dos jogos será a ida de Shawn Layden para comandar o SIE Worldwide Studios. Em 2014 ele assumiu como presidente da SIEA após a saída de Jack Tretton e como sob este selo estão todos os estúdios que pertencem à Sony (como por exemplo a Polyphony Digital, a Naughty Dog, a Guerrilla Games e a Santa Monica Studio), é fácil entender a importância deste cargo.

Mesmo sem ter dado detalhes sobre quais jogos deverão surgir dessas trocas, não parece ser coincidência a iniciativa ter surgido pouco depois da Microsoft ter demonstrado interesse em adquirir novos estúdios para aumentar a oferta de títulos exclusivos na sua plataforma. A novidade também pode ter até alguma relação com o anúncio de que os assinantes da PS Plus não ganharão mais jogos de PlayStation 3 e PS Vita.

Mesmo sabendo que quem não possui um Xbox One ou um PlayStation 4 odeia a ideia de exclusivos e que para algumas pessoas eles não são tão importantes, sempre acharei que é esse tipo de jogo que me faz comprar um console. Numa época em que os aparelhos são tão parecidos (inclusive com computadores), ter acesso a determinados títulos apenas nele é o que me faz optar por este ou aquele videogame e por isso entendo plenamente o esforço tanto da Sony quanto da Microsoft em ter mais produções assim. E pelo jeito, os exclusivos se tornarão cada vez mais comuns.

relacionados


Comentários