França vai multar motoristas que manusearem smartphones, mesmo estacionados na via pública

archer-conan

Dirigir e utilizar o telefone ao mesmo tempo é uma prática idiota, perigosa e claro, extremamente popular. Não adianta institutos divulgarem todos os anos os números de acidentes envolvendo direção e dispositivos móveis, as pessoas continuam insistindo. Claro, a culpa não é da tecnologia e sim dos usuários, mas não dá para dissociar um do outro.

Na maior parte do planeta dirigir ao celular é uma infração de trânsito grave e um agravante em casos de acidentes com vítimas, e na França isso não é exceção. Porém como o pessoal de lá não se emenda a Suprema Corte do país mexeu nas regras locais, alterando o entendimento do que é um “veículo em movimento” para impedir todo e qualquer usuário de tirar as mãos do volante. E digamos que a solução não é nada simpática.

A partir de agora, se o motorista não tiver um sistema hands-free para manter seu smartphone ligado ele não deverá em hipótese alguma utilizá-lo, mesmo se parar/estacionar o veículo em via pública e desligar o motor. Para a corte, um carro parado na rua ainda será considerado em movimento e passível de sanções, caso o usuário tenha encostado para acessar redes sociais ou falar com alguém: a partir de agora, o departamento de trânsito francês tratará como estacionado apenas o veículo que estiver em uma vaga corretamente delimitada para tal função. Parou no acostamento ou na esquina, mesmo cortando a energia e sacou o iPhone? Multa de € 135 e pontos na carteira.

As únicas exceções são em casos de acidente ou de avaria do veículo, quando será permitido utilizar o smartphone para pedir ajuda profissional ou socorro médico. Todas as outras situações estão fora de cogitação.

Yves Carras, um representante da equivalente local da ABPA (Associação Brasileira de Pilotos de Automobilismo) criticou a decisão da Suprema Corte, dizendo que o governo francês “deveria estimular os motoristas a pararem” em primeiro lugar e de forma simples, e não obriga-los a procurarem vagas de estacionamento para apenas atender o smartphone. Só que a regulamentação não é um banimento total, o usuário poderá continuar usando seu iPhone ou Android se adquirir um sistema que libere as mãos, ou tenha um carro compatível com o Apple CarPlay ou o Android Auto. É isso ou levar uma multa, o que for mais barato.

Fonte: Le Figaro (em francês).

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar