Saxon — Thunderbolt é lançado e já está no Spotify

O Saxon é uma banda inglesa que foi um dos ícones do  New Wave of British Heavy Metal. Na década de 70 o Heavy Metal estava estagnado. O Punk dominava o cenário inglês e a disco music estava entre as mais famosas do cenário pop. Foi nesse ambiente que um grupo de bandas inglesas começou a produzir músicas que tinham pouca influência do blues e mais peso nas guitarras. Esse movimento logo tomou a Europa e de simples tendências a NWOBHM se tornou um estilo.

O Saxon é uma dessas bandas que surgiu no período e o grupo tem a seu favor o fato de nunca ter mudado seu direcionamento musical ou se rendido a modinhas. É dessa maneira que recebemos o novo álbum de estúdio do grupo, intitulado Thunderbolt. O que temos aqui é o mesmo estilo, os mesmos arranjos e os mesmos refrões que fizeram a carreira e o sucesso da banda. E como uma banda consegue tocar as mesmas músicas durante 30 anos? Uma base consolidada de fãs, além de shows explosivos. O vocalista Biff Byford está na banda desde 1976 (o cara tem mais tempo de banda do que eu de vida) e com certeza é um dos mais carismáticos frontman do rock. Thunderbolt é uma viagem saudosista pelo mundo do heavy metal da década de 80 e todos nós marmanjos agradecemos por isso.

Um ponto a destacar do novo disco é a música They Played Rock And Roll que foi composta como uma homenagem aos membros do Motorhead que já se foram (o baterista Phil “Philthy Animal” Taylor, o vocalista e baixista Lemmy Kilmister e o guitarrista “Fast” Eddie Clarke). As bandas eram muito amigas e a perda de seus membros foi marcante para o grupo. A composição é muito legal e uma homenagem à altura da banda mais rock de todos os tempos.

O disco foi lançado oficialmente no dia 02 de fevereiro (sexta-feira) e já está disponível para audição no Spotify. Talvez o futuro da música seja realmente o streaming, já que algumas grandes lojas de varejo mundiais já anunciaram que não vão mais vender CDs, mas eu ainda prefiro ter a bolachinha rodando no aparelho de som.

Passei as últimas 24 horas ouvindo o disco constantemente e, a primeira impressão, é que temos uma pedrada do começo ao fim. Mais um que entra para a lista de discos a serem adquiridos.

Relacionados: , , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar