Home » Hardware e periféricos » Anatel deixa escapar detalhes sobre a bateria do Galaxy S9

Anatel deixa escapar detalhes sobre a bateria do Galaxy S9

Registro da Anatel revela que as baterias do Galaxy S9 e S9+ são as mesmas de seus antecessores; chipset mais recente poderá levar a um consumo energético menor.

2 anos atrás

Segundo o @OnLeaks, este será o design do Galaxy S9

De vez em quando fuçar nos registros de homologação da Anatel para dispositivos eletrônicos a serem lançados aqui pode ser um bom negócio, principalmente se você souber onde e como procurar. Foi o que aconteceu mais uma vez, pois a Samsung já providenciou o registro das baterias que serão incluídas no Galaxy S9 e S9+, seus próximos tops de linha.

Embora os registros em si não queiram dizer necessariamente que se tratam de fato da baterias destinadas aos novos modelos da linha Galaxy S, a proximidade da data de lançamento (os modelos serão revelados durante a MWC 2018, se que será realizada entre os dias 26 de fevereiro e 1º de março em Barcelona e como de costume, não levará muito tempo depois disso para eles serem lançados aqui) e as características dos componentes indicam ser o caso; digo isso porque contrariando algumas informações espalhadas a Samsung preferiu não arriscar, dotando-os da mesma capacidade do Galaxy S8 e S8+.

Os documentos revelam que a Samsung registrou duas novas baterias de modelos similares com 3.000 e 3.500 mAh, o que em caso positivo para os novos smartphones premium poderá desapontar muitos consumidores; não é segredo para ninguém que a autonomia do S8 e do S8+ era meramente satisfatória e um pouco mais de força fazia a energia escoar rapidamente, dado o hardware pesado.

Porém ainda há esperança de que as coisas sejam diferentes com a linha Galaxy S9: como o hardware será atualizado e contará com novos SoCs (Snapdragon 845 e Exynos 9810), consequentemente teremos um novo chipset e uma possível melhoria no consumo energético: diz a Qualcomm que seu novo chip de ponta (que estará presente apenas nos modelos norte-americanos dos Galaxies S9 e S9+) consome 30% menos energia, e segundo a fabricante sul-coreana o Exynos 9810 também é muito mais eficiente energeticamente, embora não tenha fornecido números.

De qualquer forma, teremos maiores detalhes conforme a data do anúncio do Galaxy S9 e S9+ se aproximar. Aguardemos.

Fonte: Anatel.

relacionados


Comentários