Platinum Games pretende publicar dois novos games por conta própria em breve

bayonetta-5

A Platinum Games desenvolveu vários games criativos e divertidos nesses quase 12 anos de história; sejam títulos de ação frenéticos como a série Bayonetta ou o estranho porém genial MadWorld ou marcas de outras companhias, como NieR: Automata (Square Enix), Transformers: Devastation (Hasbro e Activision) e Metal Gear Rising: Revengeance (Konami), o estúdio ficou caracterizado pela inventividade e por não ter medo de abraçar o bizarro e incomum.

Mas há uma outra característica que todos os seus games possuem: nenhum deles foi publicado pela própria Platinum Games. Seja a SEGA, a Nintendo ou a Microsoft Studios (que lançaria o finado Scalebound), sempre houve desde 2006 uma outra empresa responsável pela parte de publicação e distribuição de seus games, fossem originais ou propriedades intelectuais de outrem. Isso levou a casos como o de Bayonetta: após a Big N ter se comprometido a dar sequência na série, e por conta disso, clamou para si a exclusividade de todos os títulos da bruxa lançados sob sua asa. É isso ou não ter mais games, e a Platinum preferiu engolir a seco.

Em entrevista à revista Game Informer, o líder do setor de desenvolvimento do estúdio Atsushi Inaba explicou que isso se dá principalmente porque a Platinum Games “não tem US$ 10 milhões em caixa para bancar por conta própria um lançamento AAA”, o que a força a buscar parcerias com os grandes players da indústria, ao mesmo tempo que não desejam abraçar o modo de publicação independente pois não desejam contar com equipes pequenas demais no desenvolvimento.

Isso posto, talvez estimulado pelo excelente resultado que a Ninja Theory teve após bancar ela mesma a distribuição de Hellblade: Senua’s Sacrifice, o executivo afirmou que a Platinum Games estuda pegar a via do meio, alocando times de no máximo 20 pessoas para trabalhar em novos títulos e que em breve eles pretendem por essa estratégia em prática, pela primeira vez publicando eles próprios duas novas IPs em que estão totalmente concentrados no momento; é preciso notar que eles nada teriam a ver com dois títulos em desenvolvimento desde 2016 em parceria com a Cygames, Lost OrderGranblue Fantasy Project Re:Link.

Em caso de sucesso a Platinum Games poderá aos poucos caminhar rumo à liberdade criativa, podendo ela própria criar e publicar seus títulos sem depender de parceiros, ao menos no que diz respeito a games menos grandiosos; já os AAA provavelmente continuarão atrelados a grandes distribuidoras por mais tempo.

Fonte: GameInformer.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar