Elon Musk realiza sonho da GM e vai mandar a Tesla pro espaço

muskmarte

Quando a SpaceX foi testar a cápsula Dragon, precisava de uma carga. Isso é comum em exploração espacial, a demonstração e certificação exige que o foguete simule uma carga útil. Normalmente usam-se cilindros de metal, em alguns casos a NASA usava versões das cápsulas Apollo simplificadas, chamadas carinhosamente de boilerplates, ou caldeiras, que em português a gente chama de boiler.

A massa de teste da Dragon foi bem diferente. Eles usaram… um queijo. Agora com o lançamento do Falcon Heavy, que deve acontecer no começo do ano a SpaceX queria algo mais pesado que um queijo. Eu perguntei pro meu chapa Elon o que ele estava planejando. A resposta: a coisa mais boba que você pode imaginar.

Agora ele revelou o segredo, em um tweet:

screenshot-04_12_2017-13_56_13

Isso mesmo. Ele vai mandar o próprio carro, um Tesla Roadster do modelo antigo para a órbita de Marte. Não orbitando Marte, aí é bem mais complicado, mas em uma órbita de transferência de baixa energia, uma Manobra Hohmann, pro pessoal do Kerbal. Conseguirá um fly-by? Não sei, não há dados suficientes ainda, e não importa.

spacex_falcon_heavy_launch_pad.0.0

Ele vai lançar um carro, UM CARRO no espaço interplanetário, tocando Space Oddity do Bowie. Isso é tão épico que até tira atenção do resto do evento, TRÊS Falcon 9s pousando quase ao mesmo tempo. Dois em terra, um na balsa.

O Falcon Heavy no momento em que acionar os 27 motores se tornará o foguete mais poderoso em uso na atualidade. Mais que isso, ele terá o dobro da potência do segundo lugar. Vejam a capacidade de carga para órbita baixa:

fheavycarga

Um Tesla Roadster pesa 1,3 tonelada, ou seja: o Falcon Heavy vai ter potência de sobra pra injetar o bicho em direção a Marte. Nós ganharemos um show e a Tesla vai ganhar publicidade gratuita em todos os veículos de comunicação do mundo.

Well played, Elon.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar