EA: pessoas deixaram de gostar de jogos lineares

star-wars-visceral

Isso chega a ser curioso, mas ainda hoje algumas pessoas não aceitaram muito bem o fechamento da Visceral Games. Embora esse tipo de coisa aconteça com uma certa frequência na indústria, o fato da desenvolvedora pertencer à EA e de o jogo do Star Wars que eles estavam desenvolvendo ter passado por uma profunda mudança certamente contribuiu para que o defunto do estúdio continue sendo remexido e pelo jeito essa história ainda vai longe.

Quem falou um pouco mais sobre a decisão de fechar as portas da Visceral foi Blake Jorgensen, diretor financeiro da Electronic Arts, que durante um evento parece ter sido mais sincero do que a maioria dos executivos da empresa.

Conforme continuávamos avaliando o jogo, ele continuava parecendo um jogo muito mais linear, o que as pessoas não gostam tanto hoje em dia quanto gostavam há cinco ou 10 anos. No fim das contas, foi uma decisão econômica.

O interessante é que o comentário vai numa direção um pouco diferente daquele feito recentemente por Andrew Wilson, quando o CEO da Electronic Arts disse que o fechamento do estúdio e a mudança no desenvolvimento do jogo não tinha relação com ele precisar contar com elementos online. Para Wilson, o importante era que o título entregasse a experiência de jogabilidade correta para os jogadores. Sei…

Há de se considerar no entanto que mudanças no meio de projetos é algo relativamente comum, mas o que incomodou muita gente neste caso foi a desconfiança de que a EA queria que o tal Star Wars aproveitasse o máximo possível as microtransações, o que seria inviável no caso de um jogo linear.

Quanto as pessoas preferirem jogos menos lineares atualmente, confesso que não sei se isso é verdade. De um lado temos títulos como o Wolfenstein II: The New Colossus sendo muito elogiados, mas do outro vemos que os games com mundos abertos estão se tornando cada vez mais comuns. Minha dúvida é se isso tem acontecido porque o público no geral realmente prefiro jogos assim ou se é apenas uma imposição por parte das desenvolvedoras.

Particularmente adoro jogos de mundo aberto, mas nem por isso deixaria de jogar um Uncharted, o novo Doom ou o Star Wars que a Visceral estava criando só por não seguirem esse estilo. Para mim, o importante é a qualidade e por isso considero que a falta dela seria o único motivo para justificar o fim do projeto e até mesmo o fechamento do estúdio.

Fonte: DualShockers.

Relacionados: , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar