Rumor — Kanye West estaria desenvolvendo seu próprio serviço de streaming

Ao que tudo indica Kanye West, o peixe gay, o maior gênio intermídias de nossa geração (segundo quem mais entende do assunto, o próprio Kanye West) cansou de brincar no parquinho dos outros e estaria desenvolvendo uma solução de streaming própria, de modo a bater de frente não só com Spotify e Tidal como também com YouTube, Netflix, iTunes e diversas outras plataformas de conteúdo.

Quem acompanha as peripécias de Kanye West nos últimos anos sabe que apesar de ser um hipócrita e mentiroso, ele é deveras ambicioso e já tentou de várias maneiras deixar sua marca em vários empreendimentos que não o musical: em 2013 ele patenteou uma tecnologia que envolvia múltiplas telas para uma experiência de áudio e vídeo imersiva, que embora não tenha saído do papel foi utilizada em um festival que ele promoveu em 2012, realizado em uma pirâmide interativa; não muito tempo depois West tentou pegar carona na onda das criptomoedas e lançou a sua própria, chamada Coinye West que apesar da tentativa, foi considerava morta poucos meses depois.

Agora West está de olho no mercado de streaming, e tem seus motivos: nos últimos tempos ele e Jay-Z se desentenderam feio sobre o dinheiro que o último estaria devendo a respeito das execuções do álbum Life of Pablo no Tidal, serviço que West era co-proprietário junto com outros artistas (e cujo um terço dela hoje pertence à operadora Sprint). Segundo informes o rapper empresário deve US$ 3 milhões e dessa forma, West não só pulou fora do barco como estaria disposto a criar seu próprio serviço, com blackjack e prostitutas.

E parece que é exatamente o que ele está fazendo agora: o site The Blast conseguiu ter acesso a documentos em que os representantes legais de Kanye West apresentaram uma patente de uma nova plataforma de streaming, chamada Yeezy Sound (onde “Yeezy” é o apelido de West, obviamente):

A descrição na patente do que viria a ser o Yeezy Sound mostra que o intuito de Kanye West não é só concorrer com o Tidal, Apple Music, Spotify e outros serviços de streaming de música, e sim oferecer um hub que compartilhe conteúdo de áudio, vídeo, imagens e quaisquer outros formatos multimídia, o que faria dele um adversário de plataformas como YouTube, iTunes, Netflix e todas as outras similares.

A patente descreve fornecimento de conteúdo por streaming ou download, disponibilização de serviço de chat, BBS (?!), fóruns e até mesmo retransmissão de programas de TV aberta ou cabo e rádio, de uma forma similar ao que o Hulu já faz nos Estados Unidos; em suma, Kanye West quer bater em todo mundo.

Não se sabe o quanto dessa empreitada é verídica e o que um golpe de publicidade, mas em se tratando do peixe gay é melhor esperar por qualquer coisa.

Fonte: The Blast.

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar