Rumor — O Senhor dos Anéis pode se tornar uma série de TV, e a mais cara da história

lotr-the-fellowship-of-the-ring

Uma boa notícia para os fãs das histórias da Terra-média: a Warner Bros. TV e a companhia que cuida do espólio do autor inglês e negocia seus direitos estariam, segundo fontes com planos para viabilizar uma série televisiva baseada em O Senhor dos Anéis, e grandes companhias já estão de olho no produto. No entanto, o custo de licenciamento será altíssimo e é possível que o projeto nem saia do papel.

As primeiras notícias acerca de uma versão da épica trilogia para a telinha surgiram na sexta-feira através de uma matéria da Variety, em um acordo inicial que estaria em discussão entre a Warner, a J.R.R. Tolkien Estate e a Amazon, a primeira companhia interessada. É compreensível, a plataforma de streaming de Jeff Bezos possui produtos de peso mas ainda não faz frente à concorrentes como Netflix (globalmente) e Hulu (nos EUA), portanto contar com uma propriedade intelectual de tal renome em seu acervo seria um feito e tanto. A coisa seria tão séria que o próprio Bezos estaria envolvido na negociação de modo a garantir o fechamento do negócio, mas as informações eram de que tudo ainda estava em seus estágios iniciais.

Só que pouco tempo depois, o site Deadline trouxe mais informações a respeito do caso e a princípio HBO e Netflix também estariam interessadas em produzir a série, com esta última e a Amazon negociando diretamente com a Warner sobre como fechar a negociação. A emissora de Game of Thrones no entanto teria dado para trás recentemente por um motivo bem simples, a Tolkien Estate cravou a Narsil e girou: os custos de licenciamento teriam sido fixados entre US$ 200 milhões e US$ 250 milhões, o que somando às despesas de produção, elenco e tudo o mais faria de O Senhor dos Anéis a série mais cara já produzida, com um custo final de até US$ 150 milhões POR TEMPORADA. A título de comparação, cada episódio de Game of Thrones custa em média US$ 10 milhões e a coroa hoje está nas mãos de The Crown, que custou US$ 130 milhões à Netflix.

É caro? Claro que sim, mas convenhamos que a obra de Tolkien é uma das propriedades de entretenimento mais valiosas do planeta, e por isso mesmo levou muito tempo para que os livros chegassem aos cinemas. Há grandes chances que tal como a HBO, a Netflix e a Amazon acabem desistindo do negócio mesmo considerando que a audiência seria estelar, porque os custos elevados inviabilizariam outras produções de menos porte que podem vir a dar mais retorno para os serviços de streaming. Em suma, aguardemos os próximos capítulos mas sem muita empolgação.

Fontes: VarietyDeadline.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar