Patente sugere solução similar à do iPhone X para leitor de digitais do Galaxy S9

galaxy-s8-taeyeon

O sucessor do Galaxy S8 pode corrigir seu maior problema (bônus: Taeyeon)

Quando a Samsung lançou o Galaxy S8 e S8+, não foram poucas as reclamações acerca da decisão infeliz de posicionar o leitor de impressões digitais ao lado da câmera. Tal estratégia foi repetida no Galaxy Note8 e para muita gente, posicionar o dedo sobre o sensor sem ter que virar o aparelho para ver o que está fazendo é algo bem difícil; na maioria das vezes eu sempre acertava a câmera, por exemplo.

A Samsung bem que tentou fazer com que o sensor biométrico funcionasse sob o display Super AMOLED a tempo de lançar o Note8, algo que interessava à Apple para o iPhone X mas no fim das contas, os resultados não atingiram o mínimo de qualidade desejada (fontes informaram que o leitor causava distorções cromáticas na tela) e por causa disso a companhia sul-coreana resolveu deixar tudo como estava, embora ela não tenha desistido totalmente; já a maçã abriu mão totalmente do leitor físico e do Touch ID e abraçou o reconhecimento facial como única forma de autenticação em seu novo top de linha, ainda que continue comprando os displays OLED da parceira/rival.

Só que as reclamações teriam incomodado a fabricante sul-coreana, a ponto de ela considerar outras soluções para o leitor de digitais em dispositivos premium futuros. Como ainda não há garantias de que consigam de fato fazê-lo funcionar embutido no display, a Samsung teria patenteado um método similar à soluções empregadas pela Essential com o Essential Phone e pela própria Apple com o iPhone X para acomodar componentes na parte frontal e ao mesmo tempo não fazê-los ocupar espaço que será aproveitado pelo display:

patent-001

patent-002

galaxy-s9-mockup

Mockup mostra como o Galaxy S9 ficaria

De acordo com o site holandês Galaxy Club, uma patente registrada pela Samsung em 2016 descreve uma pequena reentrância na parte inferior do display Super AMOLED em que o dedo do usuário poderia ser facilmente posicionado, considerando a borda mínima que as linhas atuais já trazem. Ela poderia inclusive ser utilizada como um botão Home mecânico mas se considerarmos que a decisão atual de posicioná-lo sob a tela foi bem acertada, é provável que façam o mesmo aqui e o deixem invisível junto ao leitor de digitais. Uma solução interessante seria fazer como a Motorola e adicionar reconhecimento de gestos ao sensor, o que seria bem interessante.

O grande problema que tal decisão traz é o uso da tela como um todo. Nem todo mundo gostou da forma como a Apple lida com o espaço do “dente” frontal ocupado pelos sensores, em que ou toda aquela faixa é desocupada ou com alguns elementos ocupando os espaços laterais; a solução da Essential é a mais próxima do que a Samsung pode vir a utilizar neste caso mas de qualquer forma, ainda é um spot que ocupa espaço em tela e que provavelmente invalidará toda a área de ambos os lados para a execução de vídeos e apps.

De resto, rumores indicam que o Galaxy S9/S9+ contará com o mesmo design e dimensões da linha S8/S8+, capacidade de armazenamento interna entre 64 GB e 128 GB e mais uma vez duas versões com SoCs diferentes, a linha de ponta mais recente da proprietária Exynos e o Snapdragon 845, sendo mais uma vez o primeiro dispositivo móvel a ser equipado com o futuro top da Qualcomm.

Claro que embora a patente seja real, ainda não é certo que a Samsung venha de fato a utilizar tal decisão de design no Galaxy S9 e S9+; de qualquer forma devemos ter acesso a mais informações a respeito dos smartphones até seu lançamento, a ser realizado entre fevereiro e março.

Fonte: Galaxy Club (em holandês).

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar