YouTube Plus: plataforma pode apresentar mais um serviço de assinatura

youtube

O YouTube ainda não decidiu como pretende fazer dinheiro. O YouTube Red, serviço de assinatura que oferece uma experiência sem anúncios, reprodução offline e conteúdo exclusivo não deu muito certo e acabou fundido ao Google Play Music, de modo a eliminar redundâncias de ambos os planos.

Só que ao que tudo indica isso ainda não é o bastante. Usuários andaram fuçando no código-fonte da última atualização do YouTube para Android, o arquivo .apk da versão 12.37 e encontraram referências no mínimo curiosas: uma alusão a um novo plano oferecido pela plataforma de vídeos que viria a se chamar “YouTube Plus”, disposto em uma linha junto à referência do YouTube Red que descreve opções de serviços por assinatura.

A referência é descrita no código exatamente desta forma:

<string name=”unlimited_brand_name_plus”>YouTube Plus</string>
<string name=”unlimited_brand_name_red”>YouTube Red</string>

Há motivos para acreditar que o Google pretende de fato lançar um novo serviço (qualquer que seja) com esse nome: em abril último uma extensão para o Chrome chamada YouTube+ saiu do ar, para voltar tempos depois como “Particle for YouTube”; ela inclusive gerou controvérsia quando o desenvolvedor original a vendeu a um terceiro que imediatamente transformou uma extensão que mudava a interface do YouTube em um adware, sem avisar os usuários.

Voltando ao YouTube Plus, não há referências suficientes no código que joguem uma luz sobre do que esse novo plano se trata. Alguns acreditam se tratar de uma opção complementar aos planos já existentes, que viria a cobrar uma taxa adicional para oferecer algo que muitos usuários cobram do YouTube há tempos: a possibilidade de executar vídeos em segundo plano e fazer da plataforma, ao menos nos dispositivos móveis um forte concorrente de serviços de streaming de música como Spotify, Deezer e cia. limitada. Dessa forma ele não seria uma opção separada, mas que exigiria a assinatura do YouTuve Red e/ou do Google Play Music (vale lembrar que o primeiro só está disponível nos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia e México, mesmo tendo dois anos de estrada).

Claro, tudo o que foi mencionado aqui deve ser recebido com os dois pés atrás, ainda não há informes se o YouTube pretende mesmo oferecer execução em segundo plano ou tem alguma outra coisa em mente; nos resta aguardar para ver o que o Google irá ou não anunciar no futuro.

Fonte: Android Police.

Relacionados: , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar