Home » Meio Bit » Internet » Os novos Termos de Serviço do Twitter estão tirando criadores de conteúdo do sério

Os novos Termos de Serviço do Twitter estão tirando criadores de conteúdo do sério

Twitter muda os Termos de Serviço e permite que parceiros utilizem tweets dos usuários sem pagar direitos ou pedir autorização; criadores de conteúdo estão fulos nas calças.

1 ano atrás

Vira e mexe o Twitter, assim como uma série de serviços online muda os Termos de Serviço adicionando novas regras que podem ou não favorecer os usuários e/ou parceiros comerciais. Faz parte da brincadeira, uma vez que você clicou no “aceito” ao criar sua conta aceitou eventuais mudanças no acordo por parte da rede social, e nem adianta rezar para não mudarem de novo.

Só que a última modificação feita nos Termos está tirando o sono dos usuários, especificamente dos criadores de conteúdo que tira do popular site de microblogs™ parte de seu ganha-pão. A modificação em si não é tão nova, mas passou despercebida por um tempo até ser denunciada por alguns tuiteiros isolados, como o autor Richard de Nooy. As novas regras, que estão sendo enviadas a usuários do app principal através de um pop-up detalha algumas alterações nos direitos dos mesmos diretamente ligados à criação.

Eis como a banda vai tocar de agora em diante: o usuário do Twitter concorda em abrir mão dos direitos de qualquer coisa que ele venha a compartilhar na rede social, permitindo que a plataforma ou seus parceiros comerciais (indivíduos, empresas ou retransmissoras) façam uso desses tweets sem a necessidade de pagar por direitos ou pedir autorização. Resumindo a história, se você publica algo na plataforma como um texto original, uma piada ou uma foto profissional a propriedade do conteúdo passa a ser do Twitter, que poderá utiliza-lo como quiser e você não receberá um centavo e/ou não poderá impedir que terceiros usem seu material.

Desnecessário dizer que quem depende do Twitter como ferramenta para criação não gostou nada disso. A rede social se defende, dizendo que o procedimento é o padrão adotado por todas as companhias de internet que lidam com conteúdo gerado pelo usuário (isso ou emissoras não poderiam exibir tweets e postagens do Facebook e Instagram na TV), ao mesmo tempo em que diz que faz alterações periódicas nos Termos de Serviço de modo a adequá-los a seu propósito e utilizar a linguagem mais clara possível.

Em verdade, tal medida visa encontrar meios de monetizar o Twitter e a solução que a companhia encontrou a curto prazo foi permitir que seus parceiros possam utilizar as mensagens para conteúdos próprios, melhorar seus serviços ou simplesmente redistribuição/retransmissão, obviamente através de acordos comerciais com a empresa e excluindo o usuário, seja criador de conteúdo ou não totalmente da jogada. O mais provável é que materiais já protegidos por leis de copyright publicadas pelos usuários, como fotos profissionais devidamente identificadas caiam em outra categoria, mas em geral qualquer coisa postada no Twitter deixa de ser propriedade do usuário. A única coisa que ele ainda manterá é a responsabilidade pelo que fala.

As regras entrarão em vigor globalmente (exceto EUA) a partir de 02 de outubro.

Fonte: Financial Express.

relacionados


Comentários