Home » Hardware » Intel Light Peak: Apple... with lasers?

Intel Light Peak: Apple... with lasers?

10 anos atrás

Existe uma ilusão de que banda é um recurso renovável e infinito, o que é uma grande ilusão. Ao contrário de petróleo, que pode ser produzido com passos triviais, envolvendo clonagem de dinossauros*, um buraco bem grande e paciência, uma vez que o espectro está cheio, está cheio.

Qualquer um que vá a uma Campus Party sabe o caos que é tentar uma conexão WIFI.  Por isso a famosa Inversão Negroponte, onde o que vinha por cabo (Internet, telefone) passaria a vir sem-fio, e o que vinha sem-fio (TV, rádio) passaria a vir por cabo não é algo que acredito com tanta convicção.

Verdade, na maioria das casas os velhos cabos azuis deram lugar ao WIFI, mas você já tentou copiar arquivos de vídeo na casa de Gigabytes, usando uma conexão de 57MBits teóricos, que na prática vão a bem menos que isso?

Apela-se pro cabo de rede, ou pro HD USB, e nem isso adianta. Periféricos hoje consomem muito em termos de transferência de dados. Uma conexão USB 2.0 com dois HDs externos já está sobrecarregada.

O USB 3.0 viria teoricamente resolver isso, mas a Intel está pensando adiante. Conseguiram enfiar em uma solução de chip único todo o conjunto de inteligência, "Lasers" (como diz o Dr Evil), photoreceptores e interfaces. Com isso a transmissão de dados via fibra óptica fica muito mais descomplicada.

O Padrão Light Peak trabalha com velocidade individual de 10Gb/s, um filme BlueRay pode ser transmitido em 30 segundos. (se o HD do outro lado aguentar, claro). Vejam um dos módulos:

São 4 fibras, cada uma com 10Gb/s teóricos. Isso dá 2 canais fullduplex de 10Gb cada (é preciso uma fibra pra ir e outra pra voltar). A Intel promete durante a década chegar a 100Gb/s.

A miniaturização tornou a tecnologia viável para uso em dispositivos portáteis e baratos. Além do uso dedicado querem oferecer o LightPeak como alternativa ao USB, conectando todos os dispositivos em um único cabo, com banda pra dar e vender. (no caso da Intel, vender, claro)

Agora a parte realmente boa: Os primeiros dispositivos LightPeak chegarão ao mercado em 2010, e há fortes rumores de que a Apple iria pular o USB 3.0 e utilizar uma porta LightPeak como conexão única para seus periféricos.

Pode parecer ousado, mas pense bem: Quem foi que abandonou o disquete quando todo mundo ainda usava, abandonou a porta VGA, lixou-se solenemente para seriais e paralelas, e com o Macbook Air mostrou o que todo dono de notebook sabe: Não usamos CD-ROM na rua?

Se há alguém que pode tornar essa tecnologia cool é a Apple. Com isso, claro, teremos toda uma estante de periféricos a comprar de novo, como scanners, máquinas digitais, celulares megapixel, filmadoras, HDs externos, gravadores de BluRay...

Fonte: Intel, ExtremeTech

* EU SEI que petróleo é formado a partir de algas e outros microorganismos, não estrague minha piada

relacionados


Comentários