Palm vai voltar ao mercado de celulares em 2018, mas não se empolgue

palm-pre

Houve um tempo em que a Palm reinou sozinha mo mercado de dispositivos móveis inteligentes, quando não existiam smartphones e os PDAs eram os aparelhinhos mais avançados que se podia ter. Quem viveu a época presenciou o nascimento de um mercado grande, que prometia um evolução nunca vista.

Quem não vislumbrou o futuro foi justamente a Palm. Quando seus gadgets se tornaram sinônimos de PDA a companhia sentou em cima da fama, parou de inovar e só incluía novidades depois dos concorrentes como Dell e HP fazê-lo, e muito dificilmente reconhecia seus erros e falhas. Com o tempo a confiança do consumidor foi sendo minada, que acabou migrando para outras marcas e quando a BlackBerry fez e aconteceu com seus primeiros smartphones, a debandada foi geral.

Quando o iPhone e o Android chegaram respectivamente em 2007 e 2008 a Palm já era um zumbi, que reagiu tarde demais com uma parceria com a Microsoft que ninguém lembra e bons aparelhos como o Palm Pre, que teve o mérito de embarcar o webOS e mostrar que o sistema operacional tinha futuro, diferente da companhia que acabou comprada pela HP, que não fez nada que prestasse. Esta repassou a divisão para a LG que a renomeou para Gram, que hoje desenvolve soluções internas, ao mesmo tempo em que fez bom uso do webOS em suas TVs; já as patentes a HP vendeu todas para a Qualcomm.

Não há mais nenhum resquício da antiga Palm a não ser o nome, que a HP vendeu para a chinesa TCL. Esta companhia, responsável pelo desenvolvimento de aparelhos das marcas Alcatel e BlackBerry (este último com excelentes resultados, apesar do preço salgado) havia prometido anteriormente colocar dispositivos com a marca Palm no mercado mirando no consumidor high-end, através de um método de crowdsourcing com pessoas externas dando palpites, o que não costuma ser uma boa estratégia.


Simpsonphile — The Homer – The Car Built for Homer

Como 2015 passou e foi embora é seguro afirmar que os planos não vingaram (ufa!). No entanto o gerente de marketing da TCL Stefan Streit, através de uma entrevista recente afirmou que a companhia ainda pretende trazer a marca Palm de volta, e está desenvolvendo smartphones que deverão ser lançados em algum momento de 2018.

Dado todo o tempo que passou as chances dos novos Palm incorporaram algo da filosofia da antiga companhia são nulas. Diferente do que a TCL fez com a BlackBerry, ao oferecer aparelhos com alma como o KeyONE não há nada relevante no que se basear. Serão dispositivos Android como quaisquer outros, que por acaso ostentarão uma marca que já foi sinônimo de modernidade num passado longínquo que não volta mais.

Fonte: Android Planet (em holandês).

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar