Facebook corta a publicidade de páginas de notícias falsas

O Facebook vem desde a eleição de Donald Trump tentando minimizar o impacto da rede social, mais especificamente vindo de textões e fanfics nos resultados. Sites e portais que veiculem notícias falsas já foram excluídos de sua plataforma de anúncios, enquanto reduz o alcance de páginas que veiculem spam e conteúdos sem qualidade.

O alvo agora são as páginas dentro do Facebook que compartilham notícias falsas. De acordo com as novas regras elas não mais poderão adquirir anúncios na rede social, o que reduzirá severamente o alcance das mesmas.

Como funciona hoje: o Facebook permite que donos de páginas comprem pacotes de anúncios dentro da plataforma, de modo a impulsionar suas postagens e exibi-las a um maior número de pessoas por um determinado tempo. Tal prática visa geralmente divulgar produtos e/ou ampliar o alcance das páginas, de modo a atrair mais assinantes, aumentar o número de visualizações e interações e consequentemente, ganhar mais dinheiro graças a acordo com parceiros comerciais.

Só que há uma série de falhas nesse processo. Muitas páginas legítimas publicam factoides e notícias falsas de modo a impulsionar seu alcance de forma artificial, de uma forma totalmente diferente do que Onion ou o Sensacionalista fazem (que são sites/páginas de humor em primeiro lugar). O Facebook não vai mais permitir que esses criadores de conteúdo tenham voz e façam dinheiro dessa forma, portanto mexeu nas regras: a partir de agora, páginas que tiverem uma grande quantidade de notícias marcadas como falsas por usuários ou entidades de fact-checking independentes serão impedidas de comprar anúncios.

A intenção da plataforma é tornar a prática de espalhar desinformação extremamente negativa para os donos das páginas, que perderão alcance e visualizações e serão reduzidos à insignificância que merecem. Aqueles que vivem de contar fanfics de crianças geniais lacradoras ou outras mais nocivas, como os InfoWars da vida serão obrigados a entrar na linha: aqueles que deixarem de publicar conteúdos falsos poderão solicitar ao Facebook permissão para voltar a comprar anúncios. A rede não esclareceu no entanto como funcionarão as regras em casos de reincidência, no entanto.

Tal medida é muito bem-vinda, principalmente porque vai reduzir sensivelmente a quantidade de baboseira que as páginas publicam no Facebook e que vira e mexe acabamos vendo em nossos Feeds de Notícias, tudo porque o administrador comprou um pacote para dar um boots nas publicações. A partir de agora, quem não andar na linha ficará cada vez mais isolado e dificilmente conseguirá angariar novos seguidores e fazer dinheiro.

Agora só falta o Facebook dar um jeito nos seus estagiários “treinados” de modo que eles passem a bloquear o que realmente importa e deixem de implicar com mamilos imaginários e manjubas mitológicas.

Fonte: Facebook.

Relacionados: , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar