Home » Robótica e IA » Respire aliviado, robôs não farão a sua pizza tão cedo

Respire aliviado, robôs não farão a sua pizza tão cedo

Pesquisadores de Nápoles investem em robô capaz de executar tarefas delicadas que só um humano ainda é capaz de fazer, como preparar pizzas. A verdade é que ainda temos um longo caminho pela frente.

2 anos atrás

Há uma preocupação geral de que antes da SkyNet nos exterminar, os robôs irão tomar todos os empregos existentes. Especialistas acreditam que apenas os profissionais menos qualificados estão ameaçados a médio prazo, o que leva a propostas como a de Bill Gates para a criação de um imposto sobre robôs de modo a reduzir o impacto do desemprego no futuro.

Isso não quer dizer que robôs não aprenderão tarefas mais especialistas no futuro. Gamers já utilizam equipamentos robóticos para cirurgia melhor que cirurgiões e dada a precisão dessas máquinas, não é tão alienígena a possibilidade de automatizarmos o processo um dia. Redes neurais já são melhores em diagnósticos, e logo um autômato no consultório de clínica médica do SUS não será nada de outro mundo.

A questão principal é o nível de especialização e destreza dos robôs. Nós humanos somos bastante complexos, executamos uma série de movimentos com as mãos e braços que máquinas ainda não conseguem imitar. Ainda assim os pesquisadores tentam: o PRISMA Lab (Projects of Robotics for Industry and Services, Mechatronics and Automation e não a startup responsável pelo app de filtros), um laboratório de robótica e automação industrial de Nápoles, Itália está desenvolvendo um robô voltado a reproduzir movimentos humanos com precisão para tarefas especializadas.

O nome é auto-explicativo, Rodyman (Robotics Dynamic Manipulation).

Créditos: PRISMA Lab

A equipe do prof. Bruno Siciliano, doutor em Engenharia Eletrônica da Universidade de Nápoles trabalha há quatro anos e já consumiu US$ 2,9 milhões no projeto, focado principalmente em fazer o Rodyman aprender a fazer... pizzas. Segundo o líder do projeto essa é uma atividade que exige um alto nível de agilidade e destreza, e embora o robô seja capaz de lidar com os ingredientes adicionais selecionados ele ainda tem sérias dificuldades em lidar com a massa da pizza em si.

Abaixo o vídeo. Dica, ignore as legendas porque a tradução para o inglês é sofrível:

O objetivo final obviamente não é colocar um Panucci robô em cada pizzaria, mas de ensinar autômatos a lidarem com tarefas complexas que apenas a destreza humana ainda é capaz de cumprir. Pense numa máquina voltada a cuidar de idosos ou para manusear elementos perigosos e delicados. Os robôs hoje ainda não estão preparados para lidar com esse nível de detalhes e micro-movimentos sutis e essenciais, mas estamos cuidando disso.

A questão é: ainda vai demorar para vermos um robô bancando um pizzaiolo ou preenchendo qualquer outra vaga mais especializada, mas eu não apostaria que essa verdade permanecerá para sempre.

Fonte: ExtremeTech.

relacionados


Comentários