Consumer Reports remove Microsoft Surface da sua lista de recomendações

Por essa a Microsoft não esperava: a Consumer Reports, uma organização norte-americana que testa e avalia produtos dos mais diversos fins e é considerada referência na hora de separar o joio do trigo removeu de sua lista todos os modelos da linha Surface, após uma pesquisa junto ao público revelar que eles não seriam tão confiáveis a longo prazo.

A Consumer Reports costuma publicar relatórios periódicos informando quais produtos foram dignos de entrar em sua lista de recomendados, quais foram chutados e quais permanecem na mesma. Ela confere selos de confiabilidade àqueles que passam nos testes e apresentam boa aceitação pelo público, como era o caso até então de duas versões do Surface Book e duas do Surface Laptop. Porém todas perderam o status e a CR não vai recomendar nenhum outro produto da Microsoft da categoria.

De acordo com o instituto, que realizou uma pesquisa com 90 mil donos dos aparelhos Surface comprados entre 2014 e 2017, 25% apresentam uma série de problemas e defeitos nos primeiros dois anos de uso. Os bugs variam de congelamentos, desligamentos involuntários, problemas no display touch e resultados baixos nos testes de resiliência, algo que deve ser levado em conta ao se tratar de produtos portáteis.

Piora: em entrevista à Reuters o CEO da Consumer Reports Jerry Beilinson cravou a faca e girou, ao dizer que se o usuário se preocupa com quanto seus gadgets duram “é melhor que ele procure uma marca com altos índices de confiabilidade”, como… a Apple. Na visão do executivo a maçã é “referência no mercado” e recentemente a opinião do CR em relação ao novo MacBook Pro mudou, e ele agora possui o selo de recomendação.

A Microsoft obviamente não gostou nem um pouco disso: o chefe da divisão Surface Panos Panay não aceita a avaliação da Consumer Reports e afirma que os modelos Surface Book e Surface Pro 4 possuem uma taxa de defeito bem abaixo dos 25% constatados. No entanto, considerando que a pesquisa foi feita com produtos introduzidos no mercado a partir de 2014 o mais provável é que modelos como os Surface 2 e Pro 2 sejam os mais problemáticos, o que levou o instituto a banir a linha toda pelo conjunto da obra. O Surface Laptop também recebeu críticas, sendo dito que a taxa de defeito dele é maior do que de notebooks concorrentes; vale lembrar que o iFixit também não gostou dele e lhe deu uma enorme nota zero, já que não dá para abri-lo sem destrui-lo.

Segundo a CR, a falta de experiência da Microsoft nesse ramo de hardware é sua maior fraqueza, o que leva a uma menor durabilidade de seus produtos. A companhia vai continuar contestando mas o fato é que o estrago já foi feito, e resta apenas fazerem a lição de casa e capricharem mais nos próximos lançamentos.

É isso ou continuar perdendo mercado para Apple, Dell, Lenovo e cia.

Fontes: Consumer Reports e Reuters.

Relacionados: , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar