Raspberry Pi é para os fracos: astrofotografia com uma Game Boy Camera

game-boy-camera-photos

Esta informação pode parecer desconcertante, mas a imagem do astrônomo de olho no telescópio e desvendando os segredos do universo é falsa. Por causa de um pequeno “problema” como a rotação da Terra é impraticável até mesmo manter um estagiário movimentando o equipamento cuidadosamente para acompanhar o movimento dos astros no céu. Fotos de galáxias e estrelas distantes dependem de horas de exposição para captar os fótons dispersos, que quanto mais distantes mais tênues são.

Isso levou os cientistas a desenvolverem equipamentos de relógio que movem os telescópios em compensação à rotação terrestre e com isso nasceu a astrofotografia. Desde o fim do século XIX quase toda a captação de imagens do espaço é feita com câmeras semi-automáticas: os cientistas ficam com o tempo livre e não precisam ficar olhando o céu o tempo inteiro. Isso nos permitiu ter equipamentos verdadeiramente poderosos e autônomos como também levou a hacks muito interessantes, desde os muito caros como o da Universidade de Toronto que criou um telescópio com 48 lentes comerciais de US$ 10 mil cada, aos ridiculamente baratos como o de um cidadão que usou um equipamento amador de segunda mão e um Raspberry Pi e desenvolveu um conjunto muito bom por menos de US$ 200.

Só que para cada um que desenvolve um projeto sério e viável há outro que é movido pelo puro espírito hacker, em busca de provar apenas se algo pode ser feito e não se preocupa com a praticidade e resultados, que muitas vezes podem nem ser lá grande coisa. É o caso da ideia apresentada por Alexander Pietrow, estudante de Astronomia e Instrumentação da Leiden University, na Holanda (ou Países Baixos, sei lá; é complicado). Ele resolveu testar se um telescópio normal poderia acomodar uma câmera muito mais low-tech do que qualquer uma usada hoje para o mesmo fim: uma Game Boy Camera.

game-boy-camera

Este acessório do portátil original da Nintendo já não era grande coisa quando foi lançado em 1998, é uma câmera monocromática de dois bits que conta com um sensor CMOS de 128 × 128 pixels, permitindo utilizar o Game Boy para tirar fotos em uma estonteante resolução de 128 × 112 pixels. Mas como o intuito é meramente provar se ela pode captar imagens minimamente decentes do espaço o gadget foi acoplado a um telescópio do Leiden Observatory, um dos mais antigos da Europa (estabelecido em 1633).

game-boy-camera-astrophotography

O equipamento em questão não é tão antigo, mas mesmo assim trata-se de um conjunto que data de 1838. O portátil foi fixado utilizando um suporte universal para smartphones e primeiramente apontado para a Lua, obviamente por ser o corpo celeste mais próximo da Terra e que proveria as imagens com a melhor resolução possível… dentro das limitações do hardware.

O resultado, como é possível ver na imagem que abre o post é até bem decente, sendo possível identificar até mesmo as crateras lunares. A resolução original da última foto no entanto não é a real, pois foi levemente ampliada.

Esta é a foto em resolução de 100%:

moon-3

Pietrow ainda chutou o pau da barraca e apontou o telescópio para Júpiter, na esperança de captar não só o rei do Sistema Solar como as Luas de Galileu (Io, Europa, Ganimedes e Calisto). O experimento, embora não tenha definido as tempestades superiores do planeta conseguiu captar três dos quatro satélites, aqui destacados nas setas (Ganimedes e Calisto sendo as mais afastadas). Na foto colorizada, graças ao display do Game Boy Advance SP é possível reconhecê-las mais facilmente pelo brilho diferenciado:

jupiter-and-galileo-moons

O pesquisador descreve no post original o método que utilizou para recuperar as fotos da Game Boy Camera e transferi-las para o PC, já que o único modo original que você podia usar para preservá-las era imprimindo através da Game Boy Printer, uma impressora térmica oficial da Nintendo. No mais é um projeto interessante, mostrando que a observação do espaço pode ser feita até com ferramentas bem arcaicas.

Fonte: Leiden Observatory.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples