Home » Games » Miscelâneas » Kojima compara Logan ao Metal Gear Solid 4

Kojima compara Logan ao Metal Gear Solid 4

Ao falar sobre o último filme do Wolverine, o game designer Hideo Kojima traçou um paralelo entre a história contada no Logan e aquele que ele criou para o Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots.

2 anos e meio atrás

A paixão de Hideo Kojima pelo cinema é algo conhecido mesmo por quem não gosta muito do game designer, inclusive com ele tendo dito recentemente que gostaria de dirigir um longa-metragem. Esta admiração também pode ser vista nos jogos que o japonês trabalha, com a maioria deles apresentando uma linguagem bem próxima do que temos no cinema e dentre eles, talvez nenhum se pareça tanto com um filme quanto o Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots.

Pois ao falar sobre o filme Logan, Kojina-san elogiou a obra dirigida por James Mangold e aproveitou para traçar um paralelo com o jogo que cronologicamente é o desfecho para a saga que ele iniciou na década de 80.

O que é único em relação ao Logan é que, embora seja um significativo pedaço de um universo maior, ele também consegue se desvencilhar para se tornar uma história independente de sua própria maneira, concluindo uma história que de outra forma pareceria interminável. Se isso não é especial, não sei o que é. É por isso que o Logan é um filme a ser lembrado.

 

Tanto o Snake quanto o Logan tiveram seus lugares no mundo retirados deles. Que lugar há no mundo para aqueles cujo próprio ser lhes foi arrancado? Tudo o que resta é o fim de suas histórias — uma história sobre suas partidas. Eu tentei usar esse mesmo truque que vocês viram no Logan — que foi de simultaneamente escrever um ‘fim’ para o MGS4 enquanto tentava não escrever um fim para toda a saga.

E assim como já havia feito com a série Westworld, Hideo Kojima ainda falou sobre a proximidade entre os games e os filmes, dizendo que os jogos eletrônicos já ultrapassaram a sétima arte quando se trata da narrativa e que a mídia é muito mais viciante do que o cinema é capaz de ser. Para ele, “entretenimento viciante sem fim” é aquilo o que o tanto o mercado quanto os jogadores querem.

O assunto é um tanto polêmico, mas concordo com Kojima. Ultimamente temos visto vários jogos entregarem narrativas espetaculares e que não seriam possíveis no cinema. Eu até entendo quando algumas pessoas reclamam que os jogos estão ficando muito com cara de filmes, mas nunca vi problema nisso e na verdade até torço para que essa proximidade se torne maior.

Fonte: Gamespot.

relacionados


Comentários