Home » Ciência » Defesa » Rebeldes do Yemen lançam míssil contra fragata saudita

Rebeldes do Yemen lançam míssil contra fragata saudita

Péssimo dia para ser um navio saudita. Rebeldes do Yemen lançaram um míssil em uma fragata, e acertaram em cheio. Não afundou, comprovando que esses mísseis made in china são meio xing-lings, mas fez um estrago!

2 anos atrás

1220108_7fdfe6fec431318497ac3d9ee6fe8343

Não tenho a pretensão nem paciência de destrinchar em detalhes a situação do Yemen, mas a coisa por lá está mais confusa que a Hellen Keller em uma suruba. Tudo começou quando um governo não muito estável começou a pegar pesado, e o país se dividiu, com dois lados se odiando e se xingando de petralhas e coxinhas, se bem que por lá provavelmente eram kibes.

A coisa ficou tão feia que metade das forças armadas se rebelou, e começou uma guerra civil. Países da região começaram a ajudar discretamente ou nem tanto. A Arábia Saudita se aliou a um lado, junto com os EUA. Irã diz que é neutro mas fornece armas para a outra facção. As duas dizem ser o governo legítimo do país. Ah, e tem o ISIS também. E tem a China. Quer ter uma idéia do tamanho do rebuceteio?

Os Emirados Árabes mandaram secretamente uma força de 100 mercenários… colombianos. Para apoiar qual lado? Sei lá.

cublg5puaaa1gce

No meio disso tudo uns rebeldes com acesso a mísseis chineses fornecidos pelo Irã (Yay Globalização!) atiram em tudo que passa pela costa e é pintado de cinza, péssima hora pra ser muro do Dória. Um navio saudita foi alvejado, um destróier americano só não virou peneira porque Tio Sam deu Tom Clancy pros marinheiros lerem, e eles souberam se safar.

Quem não leu Tom Clancy pelo visto foram os marinheiros de uma fragata saudita, que aparentemente ontem chegou perto demais do Yemen e foi alvejada com um Silkworm iraniano de fabricação chinesa.

Com 2.600 toneladas de deslocamento a embarcação era da classe Al Madinah faz parte de 4 construídas na França entre 1985 e 1986, não exatamente topo de linha, mas um alvo é um alvo.

No vídeo um barco com pelo menos dois rebeldes acompanha o navio, claramente para documentar a ação, os combatentes modernos se tocaram que propaganda é a alma do negócio. Estrategistas militares agradecem: é muito raro ter acesso a boas imagens desse tipo de arma em ação.

O ataque é acompanhado dos tradicionais Allah Ackbar, Morte à América, Morte a Israel, mas isso é tão automático que gritam as mesmas coisas pra pedir um Frapuccino no Starbucks de (pausa pra ir no Google) Saná.


يمن الصمود — لحظة تدمير البارجة السعودية المسماة المدينة بصواريخ ارض بحر من قبل الجيش اليمني واللجان الشعبية

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários