Home » Games » Mobile » E o jogo de cartas do Titanfall já morreu

E o jogo de cartas do Titanfall já morreu

Respawn anuncia a morte do Titanfall: Frontline, spin-off para mobile que era baseado na franquia de tiro e que não chegará nem a sair do seu período de testes.

2 anos atrás

Na tentativa de explorar mais sua franquia, em setembro passado a Respawn Entertainment anunciou o Titanfall: Frontline, um jogo de cartas para tablets e smartphones que deveria ser lançado em algum dia desse ano. Pois agora nos chega a noticia de que isso não irá mais acontecer.

Após submeter o título a um período de testes, a desenvolvedora afirmou pelo Facebook que eles aprenderam muito nos últimos meses e que isso os fez chegar à conclusão de que não valeria a pena lançar uma versão final do jogo.

… no fim sentimos que a experiência não estava pronta para entregar uma jogabilidade com a ação intensa que fosse sinônimo do Titanfall. Embora nunca seja fácil cancelar um jogo, estamos empolgados para pegar alguns dos conceitos que vimos ressoar entre os jogadores e aproveitá-los em futuros jogos mobile do Titanfall.

O comunicado reforça portanto a intenção da Respawn de levar a franquia aos dispositivos móveis, algo que já havia sido dito quando o estúdio fechou uma parceria com a Nexon e que pelo jeito não perdeu força mesmo após esse fracasso do Titanfall: Frontline.

Em relação ao título cancelado, ele deixará de funcionar já no próxima dia 20, sendo mais um a engrossar a lista de projetos que morreram antes mesmo de sair dos seus períodos beta. É verdade que esses testes servem também para ver a viabilidade de um jogo, mas será que as empresas estão aprendendo com os erros que elas e estão cometendo durante essas produções?

A verdade é que o mercado parece um pouco saturado com tantos jogos de cartas, a nova febre que tomou conta da indústria e que fez algumas editoras acharem que qualquer franquia poderia ser adaptada para o estilo. O bom é que os próprios jogadores acabam filtrando esses caça-níqueis, fazendo com que cedo ou tarde eles voltem para os lugares de onde nunca deveriam ter saído.

Fonte: Techtimes.

relacionados


Comentários