Home » Engenharia » Trump chilica sobre o F-35, e o pior: pode estar certo.

Trump chilica sobre o F-35, e o pior: pode estar certo.

O Bundalelê nos EUA continua: agora Donald Trump descobriu os custos surreais dos programas militares. O alvo é o F-35, o caça cujo projeto já ultrapassou US$ 1 trilhão. Trump acha que isso é dinheiro demais e, sendo honesto, talvez ele esteja certo.

3 anos atrás

cashjet968

Programas militares costumam custar muito dinheiro. É um fato da vida. Durante a 2ª Guerra Mundial o projeto do bombardeiro B17 custou mais caro que o Projeto Manhattan. Há toneladas de exemplos de projetos que saem de controle. O blindado de combate Bradley acabou custando quase US$ 6 bilhões, e isso em 1981, quando 6 bilhões de dólares eram muito dinheiro.

boeing-boeing-rah-66-comanche-helicopter

O RAH-66 Comanche era para ser um helicóptero de combate futurista, do nível que daria trabalho ao Águia de Fogo. Iniciado nos anos 80, o projeto do Comanche só foi produzir uma unidade voável em 1996. Em 2004 o Pentágono se tocou que a ameaça para o qual o Comanche havia sido criado não existia mais.

Sem grandes forças de tanques soviéticos no horizonte, não fazia sentido um helicóptero tão caro, com os Apaches  ainda dando conta do serviço. Com apenas dois protótipos construídos o projeto do Comanche foi cancelado. Tamanho da conta? US$ 6,9 bilhões. Thanks, Obama (eu sei!)

E por falar em Obama, ele enfrentou uma bela bananosa logo no começo do primeiro governo, quando herdou o projeto de renovação do Marine 1.

air_vh-60n_and_vh-3d_lg

A frota de helicópteros presidenciais é bem velha, alguns são de 1961, e precisam ser substituídos. Só que não dá pra comprar o Balcão (velhos entenderão) e procurar, eles são especialmente construídos, com requisitos de segurança, comunicações, resistência a ataques químicos biológicos e nucleares, não sai barato.

Depois de uma licitação a AgustaWestland recebeu US$ 1,7 bilhão para construir a nova frota. Isso foi em 2005. Em 2007 o custo do programa já estava em US$ 2,4 bilhões. Em 2008 já estavam em US$ 11,2 bilhões.

Obama não gostou, cancelou o programa em 2009 (US$ 13 bilhões) e decidiram reformar os helicópteros já existentes. Só que quando colocaram na ponta do lápis a reforma acabaria custando entre US$ 14 e US$ 21 bilhões. E os bichos já estavam muito velhos. Que fim levou? Não sei e não me interessa.

Agora Donald Trump está descobrindo esse lado estranho dos projetos de governo, e está assustado.

Uns dias atrás ele chilicou com o custo de um novo Força Aérea Um, ou Hair Force One como inevitavelmente estão chamando. Mais de US$ 4 bilhões. A indústria partiu para a defensiva explicando que um avião especial como o Força Aérea Um vai custar caro, não tem jeito.

Mal as ações da Boeing terminaram de cair, Trump atacou de novo dizendo que o projeto do F-35 está “fora de controle”.

As estimativas hoje são de mais de US$ 100 milhões por unidade do novo caça e um custo total do projeto, em 60 anos de vida útil estimado em US$ 1 TRILHÃO. Isso sim é uma quantia razoável de dinheiro.

Criado para ser uma aeronave versátil, unificando os vários serviços (Marinha, Força Aérea e Fuzileiros) e reduzindo custos, o F-35 conseguiu não ser nada disso. O programa é recheado de problemas, coisas burras como ele não poder disparar os canhões pois o software de controle só estará disponível em 2019.

A brigada de controle de danos está fazendo tudo que pode. A versão da Força Aérea foi declarada “pronta para combate”, mas Michael Gilmore, Diretor de Avaliação e Testes Operacionais do Pentágono não concorda. Em um memorando interno ele criticou fortemente a ilusão de que o F-35 está remotamente pronto para combate.

[box type="info"]

[/box]

Segundo ele a idéia de que a fase de desenvolvimento do F-35 deve terminar “no começo de 2018” é irreal, ela terminará NO MÍNIMO na metade de 2018. O teste de armas em condições de combate não vai começar em meados de 2018 como dizem. Provavelmente no começo de 2019 mas podem se atrasar até 2020.

Eles não podem fazer testes de ataque a alvos no solo pois os ícones nos capacetes hightech dos pilotos eram “inusáveis e inseguros” demais para sequer continuarem com os testes. Só de pendências a ser corrigidas no software, são 276.

Isso faz parte do capacete do F-35, uma coisa linda e revolucionária que cria um “cockpit de vidro”. São projetadas no olho do piloto imagens dos alvos, ele pode olhar para o chão do avião e “ver” os alvos, como um Oculus Rift de Satã.

f-35_helmet_mounted_display_system

Cada brinquedo desses custas US$ 400 mil e não funciona tão bem quanto anunciado.

Calma que piora.

O F-35C, a versão naval tem um problema estrutural. Ele não pode carregar mísseis Sidewinder AIM-9X nas pontas das asas, em certas velocidades e altitudes. Isso foi descoberto em 2013 e só agora estão tentando resolver. Ou seja: se você estiver em um F-35C e for obrigado a executar manobras evasivas de vários G's, terá que alijar seus mísseis antes.

Ah sim, em testes com as catapultas usadas em porta-aviões o F-35C apresentou “excessivas oscilações verticais”. Deixo para sua imaginação o trabalho de pensar como isso pode ser ruim para um avião decolando.

rnoaf-f-35-maneuvering

Trump não está acostumado com projetos assim. No mundo dele se um projeto atrasa, você perde dinheiro. Se um fornecedor diz que o serviço vai custar 3× mais que o contratado, azar o dele: ou faz o serviço ou é processado.

No mundo governamental, não: os custos vão se acumulando, os prazos se estendendo e está “tudo bem”.

trump35

Agora a situação está assim:

· a Lockheed-Martin perdeu US$ 2 bilhões em valor de mercado por conta da queda das ações hoje.

· Democratas, que por ANOS criticaram gastos militares, como é o Trump estão correndo para defender o projeto do F-35, usando todos os argumentos republicanos de que é assim mesmo, que ele é essencial, etc, etc.

· Republicanos que por ANOS defenderam os gastos militares estão putos com o Trump, que não deveria questionar esse tipo de coisa.

Ou seja: temos um sujeito (quase) na Casa Branca que não leu o Script e está improvisando todas as falas, para desespero do Status Quo. Um presidente republicano questionando ABERTAMENTE o Complexo Industrial-Militar é algo que não se vê desde Dwight D. Eisenhower, e democratas defendendo ABERTAMENTE o mesmo Complexo, bem… isso nunca se viu.

Como diz a velha maldição chinesa, estamos vivendo em tempos interessantes.

Leia mais sobre: , , , , , .

relacionados


Comentários