Home » Filmes e séries » Estaria o ego de Ryan Reynolds sabotando Deadpool 2?

Estaria o ego de Ryan Reynolds sabotando Deadpool 2?

Após Tim Miller, compositor Junkie XL também se afasta de Deadpool 2; suspeitas recaem sobre Ryan Reynolds, que teria se estranhado com o diretor.

3 anos atrás

deadpool

A gente sabe, Deadpool talvez seja o filme de super-heróis mais bem-sucedido do ano (mas Doutor Estranho está chegando com tudo, a crítica anda tecendo vários elogios) e por causa disso a Fox acabou dando carta branca para Ryan Reynolds, já que o ator foi um dos maiores responsáveis pelo projeto.

Foi ele quem bateu o pé e defendeu um filme 100% calcado no original das HQs, incluiu referências até ao MCU e defendeu com unhas e dentes a classificação R, para não poupar na violência que o personagem exige.

Só que os bons resultados e a confirmação mais do que instantânea de um segundo filme, fora toda a aclamação da mídia, crítica e público podem ter subido à cabeça do ator.

Os primeiros indícios de que algo não estava indo muito bem foi quando Tim Miller, diretor do primeiro filme anunciou que não iria trabalhar na sequência. Embora ele só tivesse assinado com a Fox para um filme do mercenário tagarela, os resultados de Deadpool já haviam confirmado informalmente que a dobradinha com Reynolds (que foi o produtor) seria repetida no segundo. Miller inclusive já havia preparado o rascunho do script, já que Deadpool 2 tem estreia prevista para o dia 12 de janeiro de 2018 nos Estados Unidos.

Segundo fontes próximas à produção, a saída de Miller se deu porque ele e Reynolds estavam batendo cabeça, ou em jargão do cinema possuíam "diferenças criativas": enquanto que o diretor desejava dar à produção um ar mais estilizado (talvez até mais alinhado com os outros filmes dos X-Men), o ator/produtor insistia em manter a mesma vibe cômica do primeiro filme, com a quebra da 4ª parede constante. Você sabe, o que faz do Deadpool... o Deadpool.

O motivo maior da briga entre os dois foi a escalação do ator Kyle Chandler (Friday Night Lives, Early Edition) como Cable, o mutante telepata vindo do futuro que várias vezes lutou (relutantemente) ao lado de Wade Wilson. A escolha foi de Miller, mas Reynolds não aprovou Chandler. No fim a Fox fechou com o ator e dispensou Chandler, até porque o contrato de Reynolds prevê que ele pode escalar o elenco. Contrariado, Miller pulou fora ainda que amigavelmente, vai trabalhar em outro projeto da Fox: Influx, baseado no livro de Daniel Suarez. Já Deadpool 2 foi assumido por David Leitch (De Volta ao Jogo).

Infelizmente para Reynolds e a Fox, o afastamento de Miller causou outra baixa: o compositor Junkie XL, responsável pela trilha do primeiro filme e também de Mad Max: Estrada da Fúria, entre outros anunciou sua saída em solidariedade ao diretor, dizendo que ele era a força criativa de Deadpool e que não quer trabalhar com outro no comando.

Dear friends... #Deadpool

A post shared by Junkie XL (@junkie_xl) on

Do ponto de vista do estúdio, tais desdobramentos podem ser fatais para o projeto se Ryan Reynolds não baixar a bolinha e parar de arrumar encrenca, visto que muito provavelmente o ego lhe subiu à cabeça, e ele acha que foi O único e principal responsável (ao invés de um dos principais, que é a verdade) pelo sucesso de Deadpool. E quando atores começam a dar mais pitacos que o diretor quase o fim da história não é bom para eles. Perguntem ao Edward Norton.

Miller e Jinkie XL serão os únicos a pular fora (como se já não fossem baixas significativas o bastante...)? Se o clima interno não for apaziguado e o ator/produtor não entender que ele é parte do todo e não a última bolacha/biscoito do pacote de Hollywood, a produção de Deadpool 2 pode ter um 2017 muito difícil, isso se a Fox não bater na cabeça de Reynolds, o que não é difícil de acontecer.

E quem sai perdendo? Adivinha...

Fonte: io9.

relacionados


Comentários