Home » Internet » Julian Assange tem internet cortada e passa por terrível e desumana tortura

Julian Assange tem internet cortada e passa por terrível e desumana tortura

Julian Assange teve sua internet cortada e passou por uma tortura cruel e desumana: foi forçado a comer um almoço vegan.

3 anos atrás

lucius_in_askaban

A vida não está nada boa para Julian Assange, ex-queridinho da internet, pelo qual um bando de hispters progressistas militantes não teve o menor problema em jogar debaixo do trem duas acusações de abuso sexual.

Mostrando suas garras, Assange deixou claro que o WikiLeaks, ao contrário do 4Chan, É seu exército particular e está sendo usado para a todo modo evitar que Hillary Clinton seja eleita presidente dos EUA, o que seria para Assange no mínimo uma sentença de morte ou, com mais azar, uma hospedagem em Guantânamo.

Sitiado na Embaixada do Equador em Londres, Assange, igual traficante brasileiro em presídio de segurança máxima, continuou comandando sua organização, prejudicando abertamente Hillary. A situação chegou a um ponto em que o Equador, que vinha desafiando abertamente os EUA se recusando a entregar Assange, fez o impensável: cortou a internet do danado.

O WikiLeaks ficou desesperado, acionou (não ria) planos de contingência, invocou o Protocolo Zero e postou tweets misteriosos:

codenamezero

Em um comunicado oficial o governo do Equador explicou os motivos da restrição do acesso, e nem foi porque Assange nunca pagava a parte dele do pacote NetCombo:

cvfbbldwgaaf_ne

Basicamente, traduzindo do diplomatiquês, Assange foi asilado com justificativas humanitárias, e não para ganhar um espaço seguro para fazer campanha e interferir na eleição de outro país.

Parêntese:

Vejam o Mico do Ano: um sujeito está na frente da Embaixada, com um megafone, gritando as notícias da internet para o Assange.

cvjpcqrxeaaw6ea

Fecha Parêntese.

A rigor quem está espalhando as informações comprometedoras sobre Hillary Clinton é o WikiLeaks, que neste final de campanha está em modo Full Trump. O que é um erro. A regra é clara: você nunca deve entrar em modo Full Trump.

O WikiLeaks por sua vez diz que o Equador cortou o Wi-Fi do Malfoy por pressão dos EUA. Um site chegou a acusar Washington de ameaçar bombardear o Equador. Que NEM o site confia nas próprias fontes, é só um detalhe.

Agora a situação do nosso vilão de James Bond favorito acaba de piorar. Ele foi visitado por Pamela Anderson, o que você pode pensar que é uma coisa boa.

3967ed1c00000578-0-image-a-73_1476682716177

Ela é, mas isso não vem ao caso.

Pamela foi vista entrando na Embaixada com sacolas de uma badalada lanchonete Londrina. Disse que estava preocupada com a saúde de Assange, e levou para ele um almoço vegan.

Logo após isso surgiram boatos de que ele estaria morto, teria sido envenenado pelo tal almoço. A autora do crime meio que confessou:

Ele disse que eu o torturei ao levar comida vegan” — disse Pamela, brincando.

Gente mais sensata logo explicou que não é veneno o mecanismo da morte causada por almoços vegans: é outro, é desgosto. Assange aparentemente ainda está vivo, ao menos até a vitória de Hillary ser confirmada.

Fonte: Daily Mail.

relacionados


Comentários