Home » Ciência » Não, os EUA não ressuscitaram o Circo do Rosário

Não, os EUA não ressuscitaram o Circo do Rosário

DENÚNCIA! BOMBA! Estariam os americanos pintando aviões com cores russas para implicar Moscow em ataques a civis? Como aqui é o MeioBit e você sabe que nosso QI é acima da temperatura ambiente, a resposta é não, mas a história é interessante mesmo assim…

3 anos atrás

conspiracao

Essa imagem acima está sendo espalhada, junto com outras como parte de uma terrível conspiração ianque imperialista capitalista estadunidense. Até o Russia Today entrou na onda. Segundo eles os lacaios do terrorista muçulmano ateu Hussein Obama estariam usando aviões pintados com cores russas para atacar alvos civis na Síria e culpar os heróicos soldados de Putin. Será verdade?

Spoiler: não. Mas a foto é verdadeira.

Assim como este B-17 com as cores e insígnias da Luftwaffe:

12310652_1092430910775620_8928305143188358131_n

Ou este P-38:

21315083016_872dcaec28

Ou este Spitfire.

21315071016_507cffdc46

Todos esses aviões foram capturados pelos alemães, alguns intactos outros reconstruídos depois de pousos forçados. Era importantíssimo que fossem avaliados, estudados, dissecados e apresentados aos pilotos da Luftwaffe. Esse trabalho era feito por uma unidade criada em 1943 por Theodor Rosarius, conhecida como Zirkus Rosarius.

Eles além das pesquisas faziam tours com os aviões inimigos, visitando bases aéreas e dando oportunidade aos pilotos para voar contra o equipamento inimigo sem tomar tiro, o que facilita o aprendizado.

Os aliados faziam a mesma coisa, com unidades dedicadas a estudar e voar aviões alemães e japoneses capturados. Essa prática continuou mesmo durante a Guerra Fria, quando era normal tentar de tudo para colocar as mãos em aviões inimigos, como o então moderníssimo MiG-21, conseguido cortesia de uma ação épica do Mossad que conseguiu convencer um piloto iraquiano a desertar.

Esses aviões, alguns adquiridos em compras indiretas de repúblicas soviéticas, que sempre tinham um general disposto a faturar alguns milhões de dólares e perder um avião na burocracia, eram testados na Área 51 e em exercícios como Top Gun.

cover

Óbvio que eles eram mantidos com as pinturas originais, com algumas marcações extras em pintura de baixa visibilidade. Também óbvio que é inviável manter uma frota de aviões contrabandeados, então os treinos eram e são feitos com aeronaves ocidentais com características de vôo semelhantes aos aviões inimigos.

As pinturas são para familiarizar os pilotos para identificação visual, algo que quase nunca será usado mas é importante que se esteja capacitado.

Aqui um vídeo com F-18s e F-16s pintados com pinturas russas, durante um exercício Top Gun em 2014, na Carolina do Sul:


AIRBOYD — Top Gun MCAS Beaufort

Imagens desse vídeo estão sendo usadas pelos JÊNEOS denunciando a conspiração, como se esses aviões estivessem hoje na Síria.

Como sempre teorias da conspiração só funcionam se você não pensar muito sobre elas e, como bem lembrou Mick West, especialista em conspirações, primeiro esses aviões voam alto demais para uma identificação positiva da pintura. Segundo, hoje em dia todo mundo tem uma câmera e se você conseguir filmar o avião, é facílimo identificar o modelo, independente da pintura.

A única forma de a conspiração funcionar seria todo mundo não filmar os ataques, restando apenas testemunhas confusas. E num mundo onde o ataque secreto à fortaleza de Bin-Laden foi vazado por um vizinho tuiteiro, é apenas impossível.

Fonte: War is Boring.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários