Uso de câmeras por policiais gerou um efeito colateral totalmente inesperado

robocop-miguel-ferrer-e1342128351850

Os Estados Unidos estão vivendo uma crise de confiança nas instituições, principalmente na polícia, que por mais que — e é verdade — seja em sua maioria profissional, as chamadas maçãs podres estragam a fruteira inteira. A maioria dos incidentes com mortes sempre acabava no disse-me-disse. Algumas vezes as únicas testemunhas eram os policiais envolvidos, afinal homens mortos não contam histórias.

Uma campanha bem grande, com apoio até do Obama fez com que um monte de departamentos de polícia passassem a usar câmeras como parte dos uniforme dos patrulheiros. As preocupações de que isso colocaria em risco a privacidade dos policiais acabaram não acontecendo.

Policiais ruins foram devidamente flagrados, mas os policiais bons não ligam pra isso, se preocupam mais com o fato de vários tiroteios controversos terem sido resolvidos quando as câmeras provaram que sim, havia um motivo para usar força letal.

tumblr_lp6chjqgn41qztogwo2_1280-copy

Há casos onde os policiais protestaram quando programas de teste foram encerrados e tiveram que devolver as câmeras. Alguns compraram GoPros do próprio bolso. Agora uma pesquisa do Departamento de Criminologia da Universidade de Cambridge apontou um outro resultado das câmeras.

Durante um ano eles acompanharam sete departamentos de polícia, nos EUA e no Reino Unido, identificando as denúncias de violência policial. Antes das câmeras as denúncias totalizaram 1.539 reclamações, 1,2 por policial. Um ano depois das câmeras instaladas, as reclamações caíram para 113.

A suspeita de que os policiais com câmeras são mais contidos e não abusam dos civis não se aplica, já que a pesquisa usou grupos de controle, com policiais sem câmeras. Não houve diferença significativa entre as reclamações sobre os dois grupos.

Aparentemente as pessoas se tocaram que acusar os policiais de violência e abusos se volta contra elas, se houver uma câmera. É um caso onde foi excelente para ambas as partes, afinal não é todo dia que o mesmo remédio que te livra das maçãs podres também elimina as goiabas bichadas.

Fonte: Cambridge.

Relacionados: , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar