Oh shit Jack Ryan vai virar série

vlcsnap-error849

Jack Ryan é o personagem principal de quase todos os romances de Tom Clancy. No cinema foi brilhantemente interpretado pelo maior ator vivo, Alec Baldwin, e depois por uns atorzinhos menores. Apresentado ao mundo com Caçada ao Outubro Vermelho, o personagem rendeu mais três filmes bons, Perigo Real e Imediato, Jogos Patrióticos e Soma de Todos os Medos, que teve o imenso azar de ser lançado logo após o 11 de Setembro, em maio de 2002, quando tudo que o público não queria ver era atentados terroristas.

O fato de os vilões terem sido mudados de terroristas árabes para neonazistas pois árabes estavam fora de moda também não ajudou. De lá para cá Jack Ryan ficou no limbo, até que em 2014 lançaram uma bomba chamada Jack Ryan: Shadow Recruit, um filme tão ruim que rendeu menos que Ghostbusters.

Agora, atendendo ao clamor de basicamente ninguém no planeta, a Amazon deu ok para a produção de Jack Ryan, com John Krasinski no papel-título. Ele como podemos ver é a escolha ideal para um personagem que é um analista da CIA, que usa o cérebro e o grande mérito em Caçada ao Outubro Vermelho foi ter escrito um livro.

john-krasinski-1-435

Para completar, um dos produtores da série é o Michael Bay, que tem crédito pelo excelente The Last Ship, mas é sempre bom lembrar que embora um relógio quebrado esteja certo duas vezes ao dia, ele está errado nas outras 22 vezes.

Notem, não estou gongando a série sem assistir nem sequer um trailer, não sou comentarista do G1, estou apenas externando medo, baseado em evidências passadas. Pode ser excelente? Pode, mas assim como a Regina Duarte, eu estou com medo.

Fonte: Variety.

Relacionados: , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e para seu blog pessoal, o Contraditorium,

Compartilhar