Home » Engenharia » A Vida Imita Starship Troopers: tatuagem via Robô Industrial, cortesia Autodesk

A Vida Imita Starship Troopers: tatuagem via Robô Industrial, cortesia Autodesk

Tem gente que não sabe brincar. Dois artistas franceses resolveram experimentar formas de automatizar o processo de tatuagem, e pegaram pesado: usaram um robô industrial, daqueles de soldar carroceria de carro.

4 anos atrás

tattoo

No delicioso e exagerado Starship Troopers temos um monte de cenas deliciosas e exageradas, mesmo as que não envolvem a deliciosa e exagerada Denise Richards. Em uma delas Rico está fazendo uma tatuagem dos Roughnecks, processo que é interrompido por um idiota que derrama cerveja. A tatuagem é feita por uma máquina futurista, um robô de precisão, em um dos pequenos mas divertidos detalhes do filme.

Isso não é mais ficção, graças a dois designers (no bom sentido) e artistas franceses chamados Pierre Emm e Johan da Silveira. Os dois já fizeram projetos envolvendo tatuagem antes. Uma vez acoplaram uma pistola de tatuar em uma impressora 3D. Agora pensaram grande, com ajuda do Pier 9, um espaço que a Autodesk criou em São Francisco para fomentar e patrocinar projetos “fora da caixa” de seus funcionários e gente de fora.

Não necessariamente precisam ser arte, mas se for uma idéia daquelas bem instigantes, provavelmente vão dar uma força, vide aquela luta de Mechas com o Japão.

O projeto dos dois era transformar um robô industrial em uma máquina de tatuagem.

autodeskrobozaodomal

A idéia por si só é bem ousada, tatugens exigem precisão milimétrica, u'a mão firme, um robô de centenas de quilos, criado para construir carros teria tanta precisão? Sim, teria mas isso é só parte do problema. Esses robôs têm pouca flexibilidade. Você os programa para uma tarefa, mas eles não se adaptam a variações do ambiente.

Aì entrou a expertise da Autodesk, que ajudou a dupla na parte técnica. O processo é bem mais complicado do que traçar um desenho. Uma tatuagem é uma figura bidimensional em uma superfície tridimensional. É preciso escanear em 3D com alta resolução o membro a ser tatuado, mapear a tatuagem na superfície, gerar os comandos de movimentação XYZ do robô e não esquecer da variação milimétrica para que a agulha perfure a pele, levemente.

Também é preciso que o sistema leve em conta o alinhamento entre o modelo 3D e o membro real, que precisa ser perfeito.

É algo prático? Não. Vai substituir artistas tatuadores? Com certeza não. Farei minha tatuagem LAMBRUCO nele? Nem pensar, mas nunca foi essa a intenção. Esse projeto é Arte Hacker, algo muito legal criado com a explícita finalidade de descobrir se poderia ser feito.


World's First Tattoo by Industrial Robot

Fonte: The Verge.

relacionados


Comentários