Home » Meio Bit » Microsoft » Notificações do Windows 10 são nova arma da Microsoft contra o Chrome

Notificações do Windows 10 são nova arma da Microsoft contra o Chrome

Microsoft reforça campanha a favor do Edge exibindo notificações no Windows 10, alertando usuários sobre alto consumo de energia do Google Chrome.

2 anos e meio atrás

chrome-vs-edge

A cruzada da Microsoft em puxar o tapete do Google Chrome continua. Não contente em esfregar na nossa cara o óbvio ululante que o navegador de Mountain View é um devorador de energia e RAM insaciável, o Windows 10 está exibindo notificações desde julho alertando os usuários que a migração para o Edge representa mais tempo de vida útil de suas baterias.

É hora de falar do elefante na sala: o Chrome é mais uma conveniência do que um navegador excelente. O Google foi muito esperto ao permitir a sincronização do histórico de navegação entre dispositivos, bem como o gerenciamento de conteúdo e o espelhamento de abas no Chromecast, algo que muita gente adora. Por conta disso ele é extensamente adotado mais pela praticidade do que por sua pretensa qualidade sobre os rivais, algo que sabemos não ser verdade.

Óbvio que todos os navegadores possuem seus defeitos: o Firefox não conversa muito bem com soluções Google; o Safari só funciona em Macs e iGadgets (versão para Windows? MÓR-REU!) e mesmo o Opera já não é mais o que costumava ser. O Vivaldi, que muita gente diz ser o supra-sumo dos browsers só é conhecido na esfera geek, possui zero alcance entre usuários menos inteirados e não estou falando do comum, aquele que ainda chama o Internet Explorer de “ezinho da internet”.

Para esses, o Windows 10 fornece o Microsoft Edge como opção padrão; este até antes do recém-lançado Anniversary Update era o mais pelado da categoria, com nenhum suporte a extensões. A primeira grande atualização do SO trouxe enfim a esperada compatibilidade com o AdBlock, mas isso ainda é pouco. Redmond precisa alavancar o uso do seu navegador frente ao Chrome e a estratégia adotada foi bancar o Capitão Óbvio, exibindo o quanto o código porco do rival prejudica o consumo de RAM e energia:


Microsoft Edge Experiment: Battery Life

A falta de otimização do Chrome leva a casos bizarros em que o consumo é escalável; no meu caso, um Mac Mini Server com 16 GB de RAM o Chrome devora neste momento inacreditáveis 7 GB de memória. Imagine isso num smartphone. Energia? Ele é de longe o programa mais comilão do desktop.

A Microsoft nã se restringiu a apenas exibir o vídeo acima em junho, e passou a adotar uma estratégia mais direta em seu novo sistema operacional: alertar diretamente o consumidor através de notificações.

windows-10-notification

A notificação acima está aparecendo para usuários utilizando o Windows 10 em seus notebooks quando estão somente na bateria. Usuários relatam que a mesma nota também está sendo direcionada ao Firefox, com o mesmo argumento: ambos os navegadores comprometem o desempenho do sistema e o Microsoft Edge é uma escolha mais eficiente, voltada para quem precisa usar seu hardware longe da tomada por muito tempo.

Não há mocinhos nessa história: por anos, o Google utilizou de táticas semelhantes promovendo o Chrome como uma melhor opção ao Internet Explorer, a Microsoft agora está devolvendo o favor. São negócios, cada empresa fará de tudo para promover seus produtos e uma estratégia do tipo nem surpreende.

O fato é que Redmond está mostrando a verdade: o Chrome é um navegador tão mal programado que compromete o desempenho de qualquer hardware, comendo mais processamento de CPU/RAM e energia do que deveria. Novamente é a conveniência que mantém os usuários, e se a campanha da Microsoft servir ao menos para Mountain View tomar vergonha na cara e aprimorar o browser (a última versão para mobile já incorpora algumas melhorias no consumo de energia), sairemos no lucro.

Fonte: The Verge.

relacionados


Comentários