Tencent compra desenvolvedora de Clash of Clans por US$ 8,6 bilhões

clash-of-clans

Nós vivemos a era das super-aquisições. Repare como tem se tornado cada vez mais comum uma megacorporação pagar vários bilhões de dólares por uma empresa que muitas vezes vive praticamente de apenas um produto e o último caso assim envolve a Tencent e a Supercell.

Com 73% da ações da desenvolvedora finlandesa pertencendo ao SoftBank, nas últimas semanas começaram a correr rumores de que os japoneses estavam interessados em se desfazer da sua parte. Foi então que a Tencent decidiu entrar na brincadeira e, por impressionantes US$ 8,6 bilhões, garantisse os direitos sobre 84% do estúdio, num negócio que superou até os US$ 5,9 bilhões que a Activision Blizzard pagou ano passado pelos criadores do Candy Crush Saga.

Embora conte em seu portfólio com outros títulos que fazem sucesso, como o Clash Royale e o Hay Day, o carro chefe da Supercell sempre foi o Clash of Clans, jogo que em 2014 ganhou as manchetes após um hacker supostamente ter descoberto que só num dia daquele ano o game teria rendido mais de US$ 5 milhões à desenvolvedora, o que serve para explicar o interesse dos chineses. Vale citar ainda que essa não é a primeira desenvolvedora de jogos que passa a atuar sob as asas da Tencent, com a Riot “League of Legends” Games sendo uma e a Epic Games sendo outra.

Contudo, o investimento feito pela Tencent também teria muito a ver com a briga que a companhia tem travado com suas concorrentes locais, mais precisamente a Baidu Inc. e o Alibaba Group, dupla que ultimamente não tem medido esforços para adquirir outras empresas de tecnologia.

De acordo com Martin Lau, presidente da companhia chinesa, a intenção é preservar a independência da Supercell, mesmo tendo dito que agora eles partirão em busca de co-investidores, mas o plano é fazer com que a Tecent mantenha pelo menos 50% dos direitos a voto.

O negócio serve também para mostrar que mesmo sendo tão odiado por boa parte dos jogadores, se bem aproveitado o modelo free-to-play pode ser extremamente rentável para as criadoras e editoras de jogos, o que explica porque tantas empresa tem se aventurado por esse mercado e algumas mais tradicionais tem até abandonado a criação de obras de grande porte, como por exemplo a Konami.

A dúvida agora é sobre quem será o próximo a pagar uma fortuna por outra “banda de uma música só”.

Fonte: Bloomberg.

Relacionados: , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples