Agony, o jogo que nos levará ao inferno

agony

Acho que nunca cansarei de agradecer aos estúdios independentes por eles terem ressuscitado um dos gêneros mais legais dos games, o suvival horror. Sem as amarras impostas pelas grandes editoras e sem tanto medo de inovar, desenvolvedoras menores nos proporcionaram vários bons jogos nos últimos anos e um que promete seguir por este caminho atende pelo nome Agony.

O jogo está sendo desenvolvido pela Madmind Studio, uma empresa recém fundada na Polônia por profissionais que trabalharam em diversos jogos de grande porte, como The Division, The Witcher 3, Sniper: Ghost Warrior 2 e Enemy Front. Por si só isso já poderia ser motivo para chamar nossa atenção, mas é a sua temática que promete fazer atingir este objetivo.

Isso porque sua história se passará no inferno, onde teremos como objetivo justamente fugir do lugar, me fazendo achar que o título dado ao game serve para termos uma boa ideia do que experimentaremos ao nos aventurarmos pelo Agony. Além disso, deverá contar muito para a imersão o fato do jogo se passar em primeira pessoa e estar sendo criado com a Unreal Engine 4, o que é praticamente uma garantia de belos gráficos.

Além da ambientação, por enquanto só sabemos que no jogo assumiremos o papel de uma pessoa que não tem recordações do que fez em vida e do porque foi parar no inferno. Então, na nossa árdua tarefa teremos como ajuda a capacidade de controlar outros demônios mais fracos, o que pelo menos teoricamente abre espaço para várias situações bem interessante.

Com versões previstas para PC, PlayStation 4 e Xbox One, a previsão de lançamento do Agony é para algum dia de 2017 e mesmo se tratando de um game que está sendo criado por apenas nove pessoas, os vídeos abaixo e os protótipos presentes no canal o estúdio são um bom indicativo de que a equipe parece saber muito bem o que está fazendo.


Agony: Intro


IMadm4n — Agony: Martyr prototype gameplay 2

Fonte: GameZone.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.

Compartilhar