Home » Mobile » Android e Chrome OS ficarão cada vez mais parecidos

Android e Chrome OS ficarão cada vez mais parecidos

Google não sabe se irá ou não fundir o Android ao Chrome OS, mas novidades anunciadas no I/O 2016 mostram que eles se tornarão cada vez mais similares

3 anos e meio atrás

chrone-os-android

O Google I/O 2016 passou e deixou uma série de novidades para nós. Entretanto dúvidas pairavam sobre a suposta possibilidade de Mountain View decidir fundir o Chrome OS e o Android, mais precisamente fazer com que o robozinho engolisse o SO de seus Chromebooks.

Claro que o Google na mesma época desmentiu os rumores, mas a evolução do Android para um sistema mais flexível era visível e muitos questionavam a necessidade de dois sistemas. Pois bem, eles continuarão separados mas se aproximarão cada vez mais.

O SVP para Android e Chrome Hiroshi Lockheimer declarou na época dos rumores que não só o Chrome OS não iria para lugar nenhum (e muito menos para a barriga do Android) como o SO iria evoluir, se tornando mais prático e utilizável, uma das principais reclamações dos usuários. Embora eles sejam extremamente funcionais e baratos, ideal para quem não deseja uma máquina parruda e pesada na mochila mas quer algo além de um tablet (ou seja, algo mais próximo dos ultrabooks mas com preços acessíveis), o fato de serem basicamente navegadores com hardware acessório, não sendo capazes de muita coisa sem conexão à internet os limita bastante.

Com o tempo as coisas foram melhorando, com cada vez mais aplicativos e recursos sendo inseridos mas ainda faltavam algumas coisas a serem acertadas. Durante a I/O 2016 o Google definiu de vez que ele e o Android não serão fundidos, mas tanto um quanto outro absorverão algumas das melhores características do primo para si.

O Android N por exemplo irá contar com um recurso muito legal do Chrome OS que são os updates em segundo plano; dessa forma o robozinho passará a se comportar como o Chrome e verificará de tempos em tempos se há updates disponíveis para o sistema. Em caso positivo ele não só fará o download como o instalará silenciosamente, sem que o usuário sequer dê conta. As alterações só entrarão em ação quando o smartphone ou tablet for reiniciado, algo que tanto o Chrome OS quanto o navegador possuem e é um excelente recurso: ele sequer dispara pop-ups, assim o usuário deve se atentar a notificações discretas do browser ou verificar a versão do SO quando lhe convir; caso note que ele foi atualizado bastar aplicá-la reiniciando o dispositivo.

Infelizmente nem tudo é perfeito, o Google já deixou claro que apenas a linha de aparelhos que saírem de fábrica com o Android N serão compatíveis, logo nem mesmo os medalhões top do momento poderão apreciar a novidade.

Já o Chrome OS terá acesso a algo que todos esperavam, que é a totalidade da Google Play Store. Não de uma maneira resumida, mas completa mesmo, incluindo o Android Fremework. Todos os 1,5 milhão de apps e games que você roda em seu Android logo poderão ser apreciados em seu Chromebook. Ou seja, o Google cruzou os principais features entre plataformas e em vez de fundi-los, fez deles praticamente uma coisa só com mínimas diferenças.

Pode até ser que o Chrome OS deixe de existir, mas ao que tudo indica o Google pretende ao menos deixar ele o mais próximo possível do Android (que vale lembrar, cogita-se que ele possa ganhar um modo desktop) num primeiro momento, para só então avaliar se vale a pena derrubá-lo do telhado ou não. O tempo irá dizer.

Fonte: Venture Beat.

relacionados


Comentários