Home » Segurança » John McAfee apronta mais uma, desta vez envolvendo o WhatsApp

John McAfee apronta mais uma, desta vez envolvendo o WhatsApp

John McAfee mente ao dizer que havia vencido a criptografia do WhatsApp, quando na verdade ele ofereceu Androids com malware instalado a jornalistas

3 anos e meio atrás

john-mcafee

John McAfee não é uma pessoa muito boa da cabeça, isso a gente já sabe. Desde o rolo em 2012, quando ele teria matado uma pessoa em Belize usando uma Luger, toda vez que ele aparece na mídia você já sabe que vem mais maluquice por aí, ou melhor, mais vapor; afinal as promessas tanto da ferramenta que bloquearia a NSA quanto a de que iria decriptar o iPhone dos terroristas de San Bernardino não deram em nada.

A última do maluco beleza foi a divulgação de que ele teria vencido a criptografia do WhatsApp, que recentemente adotou proteção ponta a ponta. Só que como tudo envolvendo McAfee, o feito seria outra mentira.

Na semana em que se tornou CEO da MGT, uma empresa de investimento para jogos mobile McAfee divulgou à companhia de segurança na internet CyberSecurity Ventures que havia explorado uma falha no Android que lhe permitiria ler mensagens criptografadas do WhatsApp, bem como de outros serviços. Ele não divulgou como teria feito para conseguir contornar a camada de segurança, há quem desconfiasse que não se tratavam de ferramentas de acesso root, mas em teoria o pirado havia conseguido de alguma forma detonar a tranca do instant messenger.

O máximo que ele divulgou é que ele contava com uma equipe de mais quatro profissionais e que estaria trabalhando em um área remota das montanha do Colorado, fazendo uso de servidores próprios. McAfee também foi rápido em afirmar que a falha em si era do Google e não do WhatsApp, isentando a aplicação.

Obviamente que a proeza de McAfee levantou uma série de dúvidas em todo mundo, e alguns gatos escaldados trataram logo de verificar a veracidade dos fatos. Dan Guido, um expert em segurança que foi contratado por um repórter que não quis se identificar afirma que McAfee iria enviar dois smartphones Samsung ao jornalista, e que este ao utilizá-los ele permitira ao malucão ler todas as suas mensagens protegidas. Fontes não identificadas afirmam que ele ofereceu os dispositivos a veículos como International Business Times, Russia Today e Business Insider, entre outros.

Suspeito, não? Se McAfee encontrou uma falha no Android que lhe permitiria ler as mensagens por que diabos precisaria ele próprio enviar os aparelhos? Não bastaria ele entrar em contato, explorar a vulnerabilidade, invadir os smartphones dos jornalistas e ler as mensagens? Foi o que profissionais se questionaram, e logo eles chegaram à conclusão: o maluco beleza estava mentindo de novo.

Na verdade McAfee se propôs a despachar Androids infectados com keyloggers, de forma que ele poderia capturar qualquer coisa que um usuário digitasse em tais dispositivos. Daí a afirmação de que ele poderia ler também mensagens de outros serviços como Skype, por exemplo. Na verdade ele pode capturar tudo, desde que o jornalista utilizasse o aparelho por ele enviado.

Assim é fácil, há um sem número de malwares de Android circulando por aí, nosso bom pirado não só não reinventou a roda como voltou a mentir. Tão logo a verdade apareceu McAfee entrou em controle de danos, jogando tudo nas costas do Google e afirmando que nunca afirmou ter vencido o WhatsApp, embora o título do texto diga outra coisa. O artigo original agora traz toda a verdade, de forma a dar base para explicações furadas de McAfee.

Claro que sobrou para o Gizmodo, o primeiro que jogou no ventilador sua mais nova presepada; McAfee tratou de responder ao site e não economizou. Segue a tradução completa seguindo o pedido do próprio, já que nós também temos bolas (o trecho a seguir contém palavras de baixo calão, NSFW, cuidado):

Eu presumi, talvez erroneamente que as pessoas lessem artigos que interessassem a elas ao invés de apenas os títulos. Se vocês tivessem LIDO o artigo, o que aparentemente não fizeram, saberiam que eu deixei ABSOLUTAMENTE CLARO que este NÃO ERA um problema do WhatsApp, e sim do Google. Vocês me culpam por divulgar um artigo que possui um título que vocês não gostam. O artigo é importante, não o título e se eu estiver errado, então estamos fodidos enquanto sociedade. Por favor, me citem palavra por palavra se tiverem a porra das bolas para isso. O que pelo visto, vocês não têm. 

Olha que bonitinho: McAfee acusa o pessoal do Gizmodo de serem paraquedistas de título, sendo que ele e a Cybersecurity Ventures se fizeram valer de um caça-cliques para gerar buzz e pageviews. Quem lê o texto agora percebe a verdade, mas não foi nada daquilo que ele disse em primeiro lugar. Ou seja, mentiroso e dissimulado.

Se McAfee ainda possuía um pingo de credibilidade, depois dessa ele acabou por jogá-la no lixo de vez. Richard Stallman pode ser um doido varrido e um nojento, mas ao menos é um profissional respeitado em sua área e não um mentiroso.

Fonte: Gizmodo.

relacionados


Comentários