Home » Web 2.0 » Prince continua puxando o pé da Locadora

Prince continua puxando o pé da Locadora

Prince pode ter partido, mas responsáveis por seu espólio continuam na missão de banir material d'O Artista compartilhado na internet sem autorização

3 anos e meio atrás

prince

Prince, O Artista Antes Conhecido por um símbolo indecifrável nos deixou recentemente, para tristeza de muitos fãs em todo o mundo. Ele era um músico excepcional, autor de canções memoráveis e merece por isso seu lugar no Hall of Fame, mas convenhamos: ele era um chato de galocha no que dizia respeito a seu espólio.

O Artista odiava abertamente a internet, decretando que ela estava acabada em 2010 (tal qual Elton John fez outrora). O motivo é simples, ele não tolerava o compartilhamento de suas músicas livremente, tanto de forma lícita quanto ilícita. Isso o levou a bater cabeça com os fãs e mais recentemente retirar todas as suas músicas dos serviços de streaming, ao considerar que não recebia o suficiente de Deezer, Spotify e Rdio.

Claro que Prince estava no seu direito, isso não se discute. Assim como Taylor Swift, se ele julgava não estar sendo pago o bastante pela execução de suas canções não se pode censurá-lo por tomar uma atitude que para ele seria mais vantajosa, focar em vendas digitais. Por isso a celeuma com a Locadora do Paulo Coelho: desde 2007 Prince trabalhava em conjunto com a Web Sheriff, uma empresa de proteção de direitos autorais que se encarregava de revirar a internet e distribuir ordens de retirada de material compartilhado sem os pagamentos de direitos autorais.

Até aí nenhuma novidade, só que Prince deixou o palco repentinamente no dia 21 de abril. Muitos pensaram que agora, com O Artista indo fazer companhia a David Bowie no paraíso (pobres terroristas, não há mais virgens lá) as coisas seriam mais amenas, com uma perseguição mais comedida por parte dos controladores de seu espólio. Não poderiam estar mais enganados.

Na primeira semana após a morte de Prince o Web Sheriff já havia intensificado as investidas contra domínios que compartilham material pirata. Nesse período o Google recebeu 1.265 ordens de retirada de links de seu motor de busca, todos da Locadora. Considerando que a procura por seus discos e singles explodiu após a morte (Prince havia vendido apenas 1.400 cópias físicas e digitais de seus álbuns nos três dias anteriores ao seu passamento, mas cravou 650 mil cópias vendidas quatro dias após) tal movimento é até esperado.

Tudo indica que a Web Sheriff continuará pegando no pé de qualquer um que ousar compartilhar material do Prince na internet sem autorização, até porque a empresa precisa garantir um dinheirinho extra porque a briga pelo espólio d'O Artista, que não deixou testamento está hilária, para dizer o mínimo.

Fonte: Torrent Freak.

relacionados


Comentários