Home » Filmes e séries » Já era hora: Apple estaria cogitando produzir conteúdo original

Já era hora: Apple estaria cogitando produzir conteúdo original

Só faltava a maçã: fontes indicam que a Apple vai começar a investir pesado em produções exclusivas para a TV que seriam exclusivas da Apple TV

4 anos atrás

apple-tv

Fato: a balcanização se tornou uma triste realidade. Onde antes reclamávamos com pacotes de TV por assinatura que jogavam os melhores canais para o pay-per-view, hoje serviços de streaming seguem pela mesma estrada: Netflix, Hulu, HBOAmazon, Sony, Fox, Google e agora Spotify investem em produções próprias para segurar os usuários em seus serviços de streaming, para desespero de quem só quer ver sua série favorita e não deseja gastar vários tostões com diversos serviços, isso quando eles funcionam por aqui (alguns dos listados acima não estão disponíveis no Brasil).

Então todos se perguntavam, a Apple vai ficar quieta? Agora veio a resposta: não.

O movimento não é uma surpresa, já sabemos que Cupertino vem mexendo seus pauzinhos a fim de promover suas próprias soluções relacionadas principalmente à música, porque a Apple é movida por ela, saiu do buraco por causa da indústria musical e principalmente, porque Jobs queria assim. Não surpreende portanto que a maçã pressione gravadoras para adotarem um modelo de divulgação alinhado com o iTunes (que foi chamado de "método Beyoncé") ou que sabotem sistematicamente Spotify, Google e cia. limitada a fim de promover seu Beats Music.

Por outro lado a Apple andava meio quieta no que tange a produção de conteúdo original para o iTunes e seus dispositivos, principalmente filmes, séries de TV e etc. A Netflix já faz isso há tempos e só colhe sucessos de crítica e público, o que acabou estimulando produtoras e detentoras de conteúdo a investirem no formato também, embora infelizmente cada uma tenha preferido lançar um serviço próprio ao invés de todas fecharem um acordo e disponibilizar tudo sob um mesmo guarda-chuva.

A Apple tinha tudo na mão, há tempos veicula seus festivais musicais através do iTunes mas faltava uma centelha de imaginação. Muito provavelmente ao constatar a recepção do público com o documentário exclusivo da Taylor Swift os executivos perceberam que produzir conteúdo pode ser uma boa. Por isso, re acordo com fontes Cupertino teria entrado em negociações com membros da comunidade criativa de Hollywood a fim de que estes forneçam material exclusivo à plataforma da maçã. A ideia obviamente seria fortalecer ainda mais a Apple TV, essas novas produções seriam exibidas exclusivamente na caixinha de streaming/microconsole superfaturado em um canal restrito. Assim a maçã foge da opção de vender o conteúdo no iTunes e assim, disponibiliza-lo para usuários não-Apple.

Claro, é preciso levar o rumor com os dois pés atrás, visto que a fonte não é tão confiável. Por outro lado esse é um movimento que a Apple seria idiota ao extremo se não o fizesse, mesmo que isso signifique mais um serviço (atrelado a um hardware, o que é ainda pior) que precisaríamos assinar para consumir tudo o que queremos assistir sem ter que apelar para a Locadora.

Como sempre a Apple se recusou a tecer comentários.

relacionados


Comentários