Home » Hardware e periféricos » Samsung inicia produção em massa do Snapdragon 820

Samsung inicia produção em massa do Snapdragon 820

Agora vai: após um ano difícil Qualcomm passa a bola para a Samsung, que iniciou a produção em massa do Snapdragon 820

4 anos atrás

snapdragon-820

A Qualcomm passou por um ano difícil. O Snapdragon 810, que deveria ter sido o SoC sensação em dispositivos de ponta por finalmente ter feito a transição dos 32 para o 64 bits foi um fracasso, a arquitetura foi mal implementada e o resultado foi um chip com problemas sérios de superaquecimento e queda de performance. Com isso a maioria dos fabricantes preteriram o componente, enquanto os que se arriscaram foram apedrejados por crítica e usuários, com razão.

A Qualcomm precisava acertar com o sucessor 820, chip este que foi completamente revisto e para não correr mais riscos, a responsabilidade pela manufatura foi retirada das mãos da TSMC e passada para a Samsung, que ontem anunciou o início da produção em massa.

A tecnologia embarcada do Snapdragon 820 será a mesma da linha Exynos 8 Octa, com processo de litogravura de 14 nanômetros (FinFET) em quatro núcleos Kryo customizados de até 2,2 GHz. Sim, até para manter um custo atraente a estratégia octa-core foi deixada de lado. A GPU é a Adreno 530, capaz de renderizar games em 4K e a performance, segundo benchmarks inciais, teria sido excelente, colocando-o à frente dos principais chips dos concorrentes como os Exynos mais recentes e o Apple A9, todos fabricados pela Samsung (embora a maçã divida a manufatura de seus chips com a TSMC).

A decisão da Qualcomm em remover a TSMC da equação foi devido a não só ter parte na culpa pelo fracasso do Snapdragon 810 (a transição da arquitetura Krait para ARM não foi bem feita na verdade) como a incapacidade de superar o processo da Samsung com sua litogravura de 16 nanômetros. Há quem diga também que os coreanos teriam assinado um contrato de exclusividade para que seus smartphones de ponta (provavelmente a linha Galaxy S7) sejam os primeiros a chegarem ao mercado com os chips, retomando a parceria abandonada em 2015. Isso explicaria a demora da Xiaomi para anunciar o Mi 5, que até onde se sabe também virá com o SoC da Qualcomm.

De qualquer forma a produção em massa dos chips começou agora, e nos próximos meses devemos ver uma série de smartphones de ponta de fabricantes como LG, Sony, HTC e Huawei com o chip trabalhando a todo vapor. E esperamos, com temperaturas mais suportáveis.

Fonte: Samsung.

relacionados


Comentários