Home » Mercado » Lenovo deixará de usar a marca Motorola em smartphones [UPDATE]

Lenovo deixará de usar a marca Motorola em smartphones [UPDATE]

Lenovo fazendo o impensável: marca Motorola deixará de ser relacionada à sua linha de smartphones, dando lugar ao “Moto by Lenovo”

4 anos atrás

martin-cooper-motorola-dynatac

Martin Cooper e seu “filho” Motorola DynaTAC, o primeiro celular da história

A Motorola Mobility pode não ser uma das fabricantes de dispositivos móveis mais queridas pelos usuários — principalmente por causa de seu histórico nefasto — mas é fato que ela é referência no setor, foi a companhia que inventou a telefonia celular em primeiro lugar, dominou por muitos anos o cenário antes da chegada dos smartphones com seus StarTACs e V3s. Ela é uma marca poderosa, disso não há dúvidas.

Por isso eu considero a decisão da Lenovo de matá-la uma estupidez sem tamanho.

A companhia norte-americana de telefonia (é importante separá-la da Motorola Solutions, empresa de telecomunicações que ainda existe de forma independente) passou de mão em mão nos últimos cinco anos. Foi comprada pelo Google, recebeu uma injeção de inovação violenta e lançou no mercado diversos novos dispositivos que agradaram muito os usuários, como as linhas Moto X e Moto G, este último um sucesso entre usuários mid-low por ser potente e de preço acessível. Porém muita gente demonstrou preocupação quando a Lenovo adquiriu a companhia por quase US$ 3 bilhões, se isso não significaria o fim dessa boa fase.

Em 2015 vimos que algumas decisões de design do Google foram mantidas pela Lenovo nos aparelhos mais recentes, mas para os próximos aparelhos ao menos uma mudança significativa será posta em prática, que é o sumiço da marca Motorola. O “M” característico permanecerá, mas a linha passará a ser referida como “Moto by Lenovo” segundo o CEO Rich Osterloh.

Curiosamente essa mudança já estava sendo praticada há algum tempo, talvez numa forma de tentar condicionar o consumidor a dissociar o nome Motorola dos smartphones. Nos mais recentes aparelhos não se encontra o nome da companhia completo em lugar algum, apenas o logo e o nome Moto. Mesmo na caixa é difícil localizar a antiga marca.

Tal manobra pode acabar sendo um tiro no pé: embora seja a maior fabricante de computadores do mundo, a Lenovo possui zero tradição no mercado de telefonia celular, o Vibe A7010 só chegou ao Brasil a um mês atrás enquanto a Motorola permanece viva na memória dos usuários, não importando se com boas ou más lembranças.

A analista Kantar WorldPanel Carolina Milanesi é da mesma opinião: “a Lenovo não é uma marca fraca mas a Motorola é referência, especialmente no cenário mobile (…). Seria um vergonha se afastar dela”. Eu não vejo esse movimento dos chineses como sendo um dos mais inteligentes, mas posso estar errada.

Fonte: CNET.

———

Aproveitando o ensejo: como a Lei do Bem foi para o espaço a Motorola Brasil tratou de reajustar sua linha de smartphones de 2015 que recebiam incentivos fiscais (com exceção da linha Moto E). O Moto G Colors, com 1 GB de RAM e 16 GB de espaço interno saltou de R$ 899,00 para R$ 1.149,00; o modelo com TV digital que custava R$ 929,00 passa a valer R$ 1.199,00 e o com 2 GB de RAM agora é vendido a R$ 1.419,00, contra R$ 979,00 do valor inicial.

Já o Moto X Play de 16 GB, que chegou às lojas custando R$ 1.399,00 passa a ver vendido por R$ 1.699,00; já o modelo de 32 GB saltou de R$ 1.499,00 para R$ 1.789,00. Feliz 2016 a todos.

UPDATE: a Motorola Brasil emitiu o seguinte comunicado a respeito da mudança:

A Motorola Mobility continua a existir como parte do grupo Lenovo, liderando as áreas de engenharia e design de todos os produtos móveis. Como estratégia de marketing, a empresa segue globalmente com duas marcas em smartphones e wearables: Moto e Vibe. Há muito tempo, “Moto” tem sido sinônimo de Motorola e, recentemente, passamos a enfatizar o “Moto” como uma marca de produto, que representa e leva adiante a herança da Motorola como uma marca moderna e envolvente.

relacionados


Comentários