Home » Fotografia » Canon EUA está processando o Mercado Cinza

Canon EUA está processando o Mercado Cinza

A Canon dos Estados Unidos entrou com processo na justiça contra importadores não-oficiais das câmeras da marca.

4 anos atrás

canon_mercado_cinza

A história se repete no mundo todo. A Canon produz equipamentos com preços variados destinados a diferentes mercados no mundo. Por isso que um mesmo equipamento pode ter nomes diferentes quando vendidos no Japão e Estados Unidos. Dentro do território norte-americano a Canon EUA é a autorizada oficial para venda de câmeras, lentes e acessórios da marca. Porém, segundo a empresa, existe a concorrência desleal do mercado cinza.

Várias redes de lojas de eletrônicos importam equipamentos fabricados para outros mercados e vendem nos Estados Unidos com preço mais baixo do que da loja oficial. Não são equipamentos falsos. Eles só não deveriam estar ali. O problema é que a garantia da Canon não cobre esses equipamentos (no Brasil temos a famosa garantia balcão) e alguns acessórios (como os cabos de energia dos carregadores de bateria) são adaptados com peças não-oficiais para as tomadas norte-americanas.

Agora, pela primeira vez, a Canon levou esse problema para a justiça. Pelo o que consta na reportagem do Photography Bay, a Canon está processando vários varejistas do mercado cinza norte-americano (entre eles, Get It Digital, All New Shop, F&E Trading [que possui as lojas Electronics Valley, Electronics Basket, DavisMax, Netsales e Sixth Avenue]) e a treta possui uma lista de acusações muito sérias: venda de equipamentos com números de série adulterados, falta de garantias nos equipamentos, embalagens modificadas, manuais feitos em fotocópias em vez dos originais e adulteração nas fontes de alimentação dos carregadores.

Além de pedir que as importações e vendas destes equipamentos sejam proibidas, a Canon também quer indenização monetária por conta do impacto em seus lucros. Se isso acontecer, a multa pode chegar a milhões de dólares e tirar várias destas lojas do mercado.

No Brasil também temos um mercado cinza (quase negro). Comprar das lojas oficiais da Canon e da Nikon no Brasil é para poucos. Os preços são proibitivos para a realidade de grande parte dos fotógrafos e a solução é realmente a importação não-oficial. Neste ano tivemos o caso de uma câmera da Nikon que era vendida (em promoção) na loja oficial do Brasil com um preço que daria para ir buscar o equipamento nos Estados Unidos (pagando passagem, hotel, a câmera e uma lente) e ainda assim ficava mais barato.

Ter um produto oficial é uma maravilha. Garantia e assistência técnica autorizada são confortos que valem o gasto a mais. Só tem que ser justo no preço final para o consumidor.

relacionados


Comentários