Home » Cultura » Pois é, Adele também não curte streaming

Pois é, Adele também não curte streaming

Tal qual Taylor Swift, Adele mostra que não morre de amores pelo streaming: seu mais novo álbum não será disponibilizado em nenhum serviço online

4 anos atrás

adele

Músicos não gostam da internet, isso é um fato. Desde sua popularização e o consequente advento do MP3 eles viram o modelo de negócio das gravadoras murchar e secar, o que afetou profundamente seus próprios ganhos. Acostumados a ganhar fortunas vendendo CDs, eles se viram na situação em que precisam rebolar (de preferência em cima do palco) para continuar fazendo uma graninha.

Foi assim que o Metallica declarou guerra ao Napster, Elton John mandando fechar a internet por cinco anos para ele parar de perder dinheiro e etc. No fim das contas muitos aderiram aos novos tempos, passando a vender suas músicas diretamente pela internet.

O streaming por outro lado é visto como um vilão pela indústria da música. Embora o formato pague pela execução das músicas, todos reclamam que as cifras são muito baixas. As gravadoras tentam sabotar o formato de execução gratuita, enquanto artistas se vêm no direito de não fornecer seu material. E depois da Taylor Swift, que não liberou a mixaria para serviço nenhum (com exceção da Apple Music, porque resolveu pagar) e do Prince (que também odeia a internet) é a vez da Adele.

25, o mais novo álbum da cantora que já levou sacolas cheias de Grammys para casa está sendo lançado hoje, e você pode adquiri-lo digitalmente na iTunes Store ou na Google Play Store. E é tão somente onde você irá encontra-lo. Adele decidiu que suas músicas não estarão disponíveis em nenhum serviço de streaming, ao menos não num primeiro momento. Spotify, Deezer, Apple Music… todos dançaram.

Por enquanto seus álbuns anteriores 19 e 21, bem como os singles de 25 continuarão disponíveis para streaming, mas não se sabe se a cantora poderá ou não sucumbir ao efeito Taylor Swift e mandar deletar tudo, o que parece pouco provável. O porta-voz da cantora não quis comentar sobre o assunto, já o Spotify publicou uma nota lamentando a decisão e esperando que Adele volte atrás em sua decisão.

É tudo questão de dinheiro. De acordo com fontes próximas a decisão partiu da própria Adele, que muito provavelmente não estaria feliz com os caraminguás que o streaming paga e não ficou satisfeita com o modelo de negócios dos mesmos (tempos atrás ela tentou fazer com que o Spotify liberasse o stream de 21 somente para assinantes, sem sucesso),sabot preferindo vender as músicas do jeito tradicional. Isso é um golpe para Spotify e cia., mas para ela nem tanto: o single Hello vendeu mais de 1 milhão de cópias digitais só nos EUA e o clipe foi visualizado no YouTube mais de 425 milhões de vezes. A grana portanto está entrando, mas ela quer mais e limar o streaming estimula a venda. Não é como se a Locadora existisse, afinal…

Enfim, se você está disposto a abrir a carteira para ouvir o novo álbum da Adele só lhe resta apelar para as lojas digitais ou sei lá, levantar do sofá e ir até a loja de discos mais próxima…

Fonte: The New York Times.

relacionados


Comentários