Home » Internet » Congressista do GOP tem a solução para o ISIS: fechar a internet

Congressista do GOP tem a solução para o ISIS: fechar a internet

Típico: congressista do Partido Republicano sugere que o FCC deveria fechar sites e redes sociais utilizadas pelo ISIS para combater o terrorismo

4 anos atrás

achmed

Sempre tem alguém para culpar a internet por todos os males do mundo, do câncer ao fim dos Beatles. A bola da vez é considerar a rede como cúmplice do terrorismo, por permitir a fácil comunicação entre membros de grupos dissidentes e a simplificação do recrutamento, como este e este caso mostraram.

Os ataques a Paris no último fim de semana acionaram todos os alarmes e não demoraria muito para alguém apontar o dedo e dizer “a culpa é da internet”. Sem muita surpresa a sugestão mais esdrúxula veio do Partido Republicano dos EUA, mais precisamente do congressista pelo estado do Texas Joe Barton.

Durante sessão da FCC nesta terça-feira, o político comentou sobre os atentados e mencionou que “o ISIS e o terrorismo não pode nos vencer (os EUA) militarmente”, apontando que os extremistas fazem uso massivo de sites e das redes sociais para coordenar suas ações e recrutar novos membros. Foi então que ele deu a “genial” sugestão ao diretor Tom Wheeler: a comissão deveria tomar providências para fechar todos os veículos online utilizados pelos terroristas.

Você pode conferir o comentário de Barton no vídeo abaixo a partir de 1:14:10:

energyandcommerce — Oversight of the Federal Communications Commission

A ideia de Barton seria fazer com que o FCC atuasse como o censor supremo da internet (algo que o órgão não tem competência para fazer, como Wheeler rapidamente argumentou), desligando sites que o ISIS utilize, sem identificar quais obviamente e que numa última análise poderia afetar a internet inteira. E o ban se estenderia às redes sociais em geral, já que o grupo está presente em quase todas elas.

A grande sorte é que esse tipo de ideia, além de não ser facilmente implementável é o tipo de atitude que depois de Snowden, todo mundo evita ao máximo, salvo raras exceções (vale lembrar que a França aprovou em maio uma lei de vigilantismo na internet em resposta ao ataque ao Charlie Hebdo e desnecessário dizer, as autoridades estão fazendo pleno uso dela). O problema é que um idiota desses não age sozinho, e mesmo que não dê em nada não é tão difícil dessa ideia estúpida cair nos ouvidos de outros e acabe sendo levada adiante. Os episódios SOPA, PIPA e cia. limitada são bons exemplos.

Com sorte essa proposta não sairá do vídeo, mas não será a última vez que veremos ideias desse tipo.

Fonte: FCC.

relacionados


Comentários