Home » Meio Bit » Microsoft » Microsoft capa espaço ilimitado do OneDrive

Microsoft capa espaço ilimitado do OneDrive

Abuso de alguns usuários leva Microsoft a cortar armazenamento ilimitado do OneDrive para assinantes do Office 365 e a rever seus demais planos

3 anos atrás

darth-vader-deal

Você se lembra quando Google, Microsoft e Dropbox estavam batendo cabeça para conquistar os usuários, oferecendo planos cada vez mais atraentes de seus serviços de armazenamento? Essa guerra teve seus momentos divertidos como o CEO da Dropbox afirmando que a empresa não reveria sua política de preços para pouco tempo depois jogar a toalha, visto que os concorrentes ofereciam planos bem mais atraentes.

A Microsoft também alterou profundamente os planos do OneDrive para atrair o público. Quando ele ainda se chamava SkyDrive ele oferecia 25 GB gratuitos, que foram posteriormente cortados para 7 GB e depois expandidos para 15 GB. Assinantes hoje podem utilizar 100 GB por R$ 5,00 ao mês ou 200 GB por R$ 10,00; mas o mais vantajoso era adquirir o Office 365: além de possuir uma licença da suíte de escritório e poder utilizar 60 minutos de Skype, o assinante desfrutaria originalmente de 1 TB de espaço por módicos R$ 21 ao mês, menos que um café por dia e com fotos e vídeos acessíveis em tudo que é plataforma.

onedrive

Então chegou o dia em que Redmond chutou o balde e removeu o limite de armazenamento, para felicidade de muitos e a fim de dar um empurrãozinho no Office 365 e combater a pirataria de seu principal pacote de aplicativos, tudo de uma vez. Tudo muito lindo, muito legal, mas as coisas mudaram e agora, um ano depois o plano foi para a cucuia.

O que aconteceu? A Microsoft mudou os termos do acordo com os usuários e reduziu o limite de armazenamento dos assinantes do 365 para o 1 TB original. A desculpa para isso é bem simples e não é preciso ser um gênio para imaginar: pirataria. Alguns usuários (a Microsoft admite que se tratava de uma minoria, mas não quis saber) estavam abusando e armazenando na nuvem bibliotecas inteiras de filmes ou gravações caseiras, algo que segundo a empresa “vai contra a experiência colaborativa e de alta produtividade” do serviço. Em suma, a Microsoft quer que o OneDrive seja utilizado para facilitar sua vida e não como um serviço de backup de seus vídeos educativos.

Isso não se resume ao plano ilimitado do OneDrive: todos os planos foram modificados para evitar abusos. Usuários gratuitos (antigos e novos, sem exceção) terão seu espaço capado para 5 GB. O serviço de armazenamento extra de 15 GB para fotos será descontinuado, bem como os planos pagos de 100 e 200 GB. Em seu lugar entrará no ar no início de 2016 um novo de 50 GB, por US$ 1,99 ao mês.

Quem estourou os novos limites de armazenamento será obrigado a se adequar: assinantes do Office 365 serão notificados e terão até um ano para salvar seus arquivos, e quem não quiser mais manter o serviço será reembolsado. O mesmo prazo de acesso aos dados excedentes vale para usuários gratuitos, que terão direito a um ano de assinatura grátis da suíte no início de 2016. Assinantes dos planos de 100 e 200 GB não serão afetados.

Ainda que 1 TB de espaço seja muito para boa parte dos usuários, a oferta do armazenamento ilimitado encheu os olhos de muita gente e claro, sempre tem quem abuse. Uma pena que a oferta esteja indo para o vinagre, mas a Microsoft não está tão errada em evitar dores de cabeça com a indústria do copyright, que anda batendo com força em todo mundo.

Fonte: Microsoft.

relacionados


Comentários