Home » Meio Bit » Android e Linux » Google pretende fundir Android e Chrome OS até 2017

Google pretende fundir Android e Chrome OS até 2017

O fim do Chromebook como conhecemos? Rumores apontam para possível absorção do Chrome OS pelo Android; novo SO pode ser apresentado em 2017

3 anos e meio atrás

fusion

O Google tentou por anos convencer os usuários de que o Chrome OS era um sistema operacional útil e prático, mesmo com o Android tendo mais base e pior, se mostrando uma plataforma mais útil para desktops do que a criada para rodar em seus Chromebooks, que originalmente só funcionavam online (ainda é assim na maioria das vezes, mas as coisas evoluíram um pouco).

Só que a Alphabet, hoje holding da gigante das buscas não estaria mais com planos de continuar insistindo em duas frentes distintas: de acordo com informes a ideia é fundir ambos os sistemas até 2017. Ou melhor dizendo, o Android vai engolir o Chrome OS.

Segundo duas fontes próximas ao time de engenheiros do Google, nos últimos dois anos a equipe vem trabalhando no sentido de incorporar o Chrome OS ao Android, já que a proposta do primeiro não deu muito certo. A ideia original era convencer o usuário a investir em máquinas baratas permanentemente conectadas, de modo a acessar suas principais ferramentas exclusivamente através da nuvem.

Só que as coisas não se saíram muito bem. Primeiro, mesmo com o baixo custo a ideia de ter um hardware dedicado que não passa de um navegador não agradou todo mundo, ainda que a linha tenha vendido bem. Segundo, o Android já faz isso e o market share do robozinho é esmagador. Logo por que não investir nele, que roda satisfatoriamente bem em desktops e notebooks ao invés de oferecer um fork do Linux extremamente limitado?

O Google percebeu isso há pelo menos dois anos, e estaria desde então trabalhando para que o Chrome OS seja devidamente absorvido pelo Android nos próximos anos. A ideia é introduzir a plataforma reformada (que muito provavelmente vai apresentar novidades mais significativas para PCs do que para smartphones em tablets) no mercado em 2017, com a apresentação de um demo já no ano que vem, para que devs se familiarizem com o novo produto.

Bem, observando que a Microsoft fez um bom trabalho com o Windows 10 ao unificar todo seu park de dispositivos em uma só plataforma, é de se esperar que o Google faça algo similar para reduzir a distância entre seus produtos. Quem já usou um Chromebook sabe que eles são limitados ao extremo, diferente da experiência Android em computadores que é bem mais próxima de um Linux completamente funcional. E claro, é bom levar em conta que são especulações, portanto é bom aguardar os próximos movimentos do Google para ver no que isso vai dar.

Fonte: Wall Street Journal.

relacionados


Comentários