Home » Indústria » Fundação Mozilla acha que Opera no dos outros é refresco

Fundação Mozilla acha que Opera no dos outros é refresco

11 anos atrás

Não se pode elogiar. Em um artigo anterior reclamei do pessoal do Opera, o excelente browser que ninguém usa ter feito queixa à Comunidade Européia contra a Microsoft. Segundo eles por culpa dos malvados vilões Orcs de Redmond ninguém usa Opera.

Não explicaram o sucesso do Chrome, Firefox, Safári e do ícone do ursinho, todos com mais penetração de mercado do que o Opera.

Agora quem aparece para apoiar a intervenção? Nada menos que o Firefox, na “pessoa” da Fundação Mozilla, ou mais precisamente Mitchell Baker, seu chairman. Digo, chairwoman, digo, tirem suas conclusões.

Ela disse com todas as letras que a Fundação Mozilla apóia a intervenção e ainda ofereceu os préstimos da Fundação Mozilla, como especialista no mercado de navegadores.

É, eu não entendo os europeus também

Eu sei que é normal atacar o cara que está no topo, vide o bug #1 do Ubuntu, ou a quantidade de iPod Killers lançados todo dia, mas isso que a Mozilla está fazendo é atirar no próprio pé. Com percentuais que variam de 20% a até 60% de acessos, dependendo do site, o Firefox está longe de ser um dos “pequenos”. Se usarem os argumentos da Comissão Européia, o Firefox já é monopolista em distribuições Linux. 

No mercado Europeu o Firefox tem 30% de mercado. Quanto tempo acham que vão continuar crescendo antes do #mimimi do Opera chegar até eles?

A dona Baker chegou a ponto de negar verdades evidentes:

“O sucesso do Mozilla e Firefox não indica um mercado saudável para produtos competitivos. Estou convencida de que não poderíamos, não poderemos ser bem-sucedidos exceto como uma fundação pública longe de motivações comerciais, e certamente espero que nem a União Européia nem outros governos esperem manter um ecossistema saudável na Internet baseado em organizações não-lucrativas para corrigir deficiências de mercado”

Ou seja: Ela quer dizer que o Firefox não dá dinheiro nem é feito para ganhar dinheiro. Tá. Me engana que eu gosto. Então tirem a caixinha de busca do Google, Yahoo, etc, e CANCELEM os contratos de publicidade. Passem a viver só de doações.

Principalmente, VENDAM as duas subsidiárias com fins lucrativos da Fundação Mozilla. É fácil dizer que tem uma Fundação sem fins lucrativos que faturou US$75 milhões em 2007 (mais de 2 vezes o faturamento da Canonical em 2008) com uma Mozilla Corporation (US$67 milhões em 2006) e uma Mozilla Messaging Inc debaixo do braço.

O Firefox é usado por ser BOM, o usuário está se lixando pras motivações de quem faz o produto. Da mesma forma o Opera Móbile e o Opera Mini. Aliás, com mais de 90% do mercado de navegação móbile nas mãos do Opera, não era hora da União Européia dar uma olhada nesse monopólio?
De qualquer jeito, como sempre o Mercado fala mais alto:

O Windows XP N, versão que a Microsoft foi obrigada a produzir, sem o Windows Media Player é um absoluto fracasso de vendas na Europa.  Dell, Lenovo e HP sequer se deram ao trabalho de incluí-lo nos seus produtos, e a Fujitsu se comprometeu a oferecer o produto “sob solicitação”. Solicitação essa que até o momento da reportagem da CNET não havia ocorrido.

Curioso. Pelo que os europeus davam a entender as massas estavam desesperadas para se livrar do jugo da Microsoft e do Windows Media Player...

Fonte: Ars Technica

relacionados


Comentários